Torcida do Botafogo antes do jogo contra o Colo-ColoTorcedores do Botafogo se preparam para entrar no Setor Leste do Estádio Olímpico Nilton Santos (Foto: Reprodução/Instagram)

C.E Sangenetto

O relógio mais famoso do Rio marca 18h45, hora do rush, Central do Brasil, o ponto de encontro de botafoguenses é próximo ao McDonald’s. Junto com Eduardo, aguardo o Gulherme. O próximo trem já parte para o Nilton Santos. Botafogo x Colo-Colo é logo ali.

Ele volta ao lado de um francês “perdido” vindo da bilheteria e que pedia ajuda para assistir ao jogo do Fogão. O nome dele? Melhor deixar para depois…

Até chegar à estação de Engenho de Dentro, o europeu, que parecia o Morgan Freeman com seus 25 anos de idade e era torcedor do Olympique de Marselha, não parava de falar, sobrou assunto até para o zagueiro Dória.

O técnico do Olympique colocou Dória no lugar do Evra na lateral esquerda no último jogo. Está jogando bem! Gostei muito! – contava, em inglês, animado e no meio do vagão.

Os arcos do Niltão já aparecem, o trem para, as portas se abrem, a torcida se encontra, começa a cantoria e o preto e branco ganha vida. A câmera é sacada e começam os registros. Os olhares curiosos perseguem um novo clique até que um comentário é feito.

Cara, essa camisa com uma única estrela é linda. Nunca vi coisa mais bonita. Posso comprar uma dessa e usar para tudo na França – exclamou e fez abrir sorrisos orgulhosos dos botafoguenses ao seu lado.

Ajudamos o rapaz. Com os ingressos esgotados, tentamos arrumar pelo menos um espaço na torcida visitante e o deixamos próximo ao guichê. Desejamos sorte, a vida continua e a bebedeira tinha que começar.

E começou, bem pertinho da entrada do Setor Leste, onde todos entraríamos. E junto com as cervejas, vieram as promessas.

Local das promessas e pérolas durante a estreia do Fogão na Libertadores (Foto: Carlos Eduardo Sangenetto)


Se o Fogão vencer por 2 gols de diferença, vamos para Santiago na semana que vem! (Mal sabíamos que estávamos temporariamente demitidos já no intervalo do jogo).

Intervalo, que momento sensacional para pérolas serem ouvidas.

Na moral, aperta minha mão aqui. Se o Airton voltar pro segundo tempo e meter mais um gol, meu filho vai se chamar Airton.

Aê, aê, aê, p****! Sério! Escuta aqui, geral! Ninguém muda de lugar no segundo tempo, hein? Tamo ganhando, caral**! (discursou um botafoguense no meio de dezenas na fila do mictório)

– Pô, que isso! Essas Gloriosas só ficaram dois minutinhos dançando? Rápido demais, mané!

Não sabemos se Jonas entrou no Niltão.
Não apenas esse, né?
Quem estava mais perdido?

Saudações alvinegras!