C.E Sangenetto

Essa é para quem gosta de números. O Colo-Colo não terá uma tarefa nada fácil contra o Botafogo nesta quarta-feira, pelo jogo de volta da segunda fase da Copa Libertadores. Além de ter a obrigação de vencer o Fogão e seus possíveis três volantes escalados por Jair Ventura, o clube chileno carrega um trauma de decidir suas vagas na principal competição sul-americana jogando em Santiago.

Dida defende dois pênaltis e elimina o Colo-Colo da Libertadores de 1997Dida, do Cruzeiro, defende dois pênaltis e elimina o Colo-Colo nas semifinais
da  Libertadores de 1997, em Santiago (Foto: Reprodução/TV Globo)

A última vez que os rivais conseguiram eliminar um adversário na capital do país foi há 20 anos, em 1997, quando venceram o duelo caseiro contra a Universidad Católica pelas quartas de final (4 a 3 no placar agregado). Mas foi na fase seguinte, nas semifinais, que começou a sequência negativa, ao serem parados por Dida, nos pênaltis, contra o Cruzeiro (veja vídeo).

Confira a sequência traumática do Colo-Colo em suas
decisões caseiras pela Libertadores:

Libertadores-1997
(semifinais)
Colo-Colo x Cruzeiro

Libertadores-1998
(oitavas de final)
Colo-Colo x Barcelona-EQU

Libertadores-1999
(oitavas de final)
Colo-Colo x Deportivo Cali

Libertadores-2005
(primeira fase)
Colo-Colo x Quilmes

Libertadores-2007
(oitavas de final)
Colo-Colo x América-MEX

Portanto, senhores, um filme deve passar na cabeça dos colocolinos sempre quando surge essa situação. O Botafogo precisa trabalhar bastante a parte psicológica, ela pode ser muito importante para garantir a classificação em Santiago sem grandes emoções – mesma coisa que pedir nada, né? Hahaha!

Saudações alvinegras!