A atuação do árbitro Julio Bascuñán deixou José Luis Rodríguez, presidente do Nacional, do Uruguai, na bronca. El Puma, como é conhecido, criticou fortemente o chinelo por, supostamente, ter deixado de marcar um pênalti a favor do time da casa. Em participação no “100% Deportes de Sport”, um programa local, o mandatário da equipe uruguaia não escondeu o descontentamento e foi rigoroso ao avaliar o quarteto de arbitragem.

“Um roubo tão descarado não tem explicação. Vejo as imagens e estou ‘com mais raiva’ que ontem. Alejandro Domínguez (presidente da Conmebol) e Jorge Larrionda (membro da comissão de arbitragem da Conmebol) já têm o vídeo, se é por mim esse senhor não apita mais em sua vida, irá apitar na terceira divisão do Chile. Estou irritado porque eles viram e não cobraram. Eu vi da arquibancada. O Conde (goleiro do Nacional) viu do outro lado do campo a mais de 100 metros, porque é uma jogada de voleibol. Todo o Parque Nacional viu e justamente os quatro juízes não viram”, disse.

O lance reclamado pelo presidente José Luis Rodríguez aconteceu aos 28 minutos do primeiro tempo, quando uma bola foi cruzada na área do Botafogo e Victor Luís cortou com as duas mãos. O árbitro ignorou o pênalti, que poderia colocar o Nacional-URU na frente naquele momento, já que a partida ainda estava empatada em 0 a 0.

Com a derrota de 1 a 0, o Nacional-URU vai ao Rio de Janeiro precisando vencer por dois gols de diferença. A partida de volta acontece no dia 10 de agosto (quinta-feira), no Nilton Santos, às 19h15 (de Brasília).

Fonte: Esporte Interativo