Análise: no talento de Léo Pedro e Sapata, Botafogo supera primeiro tempo ruim para seguir na Copinha

23 comentários

Blog da Redação

Blog da Redação

Compartilhe

Elenco em Botafogo x Lemense | Copinha 2023
Reprodução/SporTV

Com gols dos maiores destaques do time na Copa São Paulo, o Botafogo avançou para a terceira fase da competição. Sapata e Léo Pedro marcaram na vitória do Alvinegro sobre o Lemense por 2 a 0. Foi mais uma vez no segundo tempo que a equipe encontrou os caminhos para a vitória. Dos dez gols marcados na Copinha, sete foram anotados na metade final dos jogos.

Depois de rodar o elenco no último jogo, o técnico Thiago de Camillis promoveu duas mudanças para este jogo eliminatório em relação ao time titular que jogou as duas primeiras partidas da competição. No gol, Gabriel Toebe, que saiu lesionado no jogo contra o São Carlos, ficou no banco, e Lucas Barreto foi mantido. No lado esquerdo do ataque, Léo Pedro ganhou a vaga de Jhonnatha. Mesmo vindo do banco nas duas primeiras rodadas, Léo participou de lances de gol em todos os jogos da primeira fase, enquanto Jhonnatha conseguiu poucos bons momentos de destaque.

A entrada de Léo Pedro abriu uma nova possibilidade para outro jogador que ainda deve uma boa apresentação nesta Copinha, o meia-atacante Brendon. Léo participa mais da construção, recua mais no campo para buscar a bola, quando comparado com Jhonnatha, um jogador de mais definição. Essa característica do camisa 21 permitiu que Brendon atuasse mais próximo do ataque, ocupando os espaços abertos pela movimentação de Léo.

O meia alvinegro vai melhor próximo à área adversária, onde consegue tabelas e passes entre os zagueiros. Quando recua na base da construção das jogadas, Brendon não consegue acelerar o jogo e prende excessivamente a bola, sofrendo desarmes que geram contra-ataques.

Ritmo e paciência foram as palavras mais gritadas pelo treinador alvinegro. O Botafogo teve dificuldades em colocar velocidade na troca de passes e criar chances de gol a partir do controle da posse de bola. O time não conseguiu estabelecer o jogo pelas beiradas do campo, afunilando as ações pela faixa central, o que facilitou para a marcação. Além do Lemense, o gramado alto e irregular também foi um adversário para o estilo de passes curtos e aproximações do Alvinegro. A primeira vez que o time aliou ritmo e paciência, aos 20 minutos, Jefinho iniciou a construção de boa jogada pelo lado esquerdo e ele mesmo concluiu por cima da meta. Aos 41, após lindo passe de Felipe Vieira, o auxiliar apontou erroneamente impedimento de Brendon, anulando o gol do camisa 10.

A equipe paulista teve um objetivo claro e bem traçado: marcar no próprio campo, explorar os erros do Glorioso e buscar os contra-ataques em velocidade. Aos 32 minutos, a melhor chance dos donos da casa veio em chute da entrada da área que obrigou Lucas Barreto a fazer ótima defesa. Durante o primeiro tempo, a chuva e o vento também se tornaram elementos do jogo, complicando ainda mais as condições do gramado.

Sem alterações no intervalo, Thiago de Camillis tentou reorganizar o time para colocar Sapata e Léo Pedro no jogo. Aos 10 minutos, bem aberto na esquerda, Léo arrancou ao seu estilo, passou por dois e foi derrubado pelo terceiro dentro da área. Sapata teve a chance de abrir o placar, mas isolou a cobrança do pênalti. Apesar do erro, o artilheiro e principal destaque alvinegro na Copinha não abaixou a cabeça. Cinco minutos depois, Brendon recebeu com liberdade e conseguiu encontrar Maranhão na referência, jogada pouco explorada pelo Botafogo no primeiro tempo. A bola voltou para o meia que bateu bonito de fora da área e, no rebote da defesa do goleiro, lá estava Sapata para se redimir e marcar seu quinto gol na competição.

O gol desmontou a estratégia dos paulistas. Se antes estavam confortáveis com o empate sem gols que levaria a decisão para os pênaltis, agora seria necessário mostrar mais para alcançar esse objetivo. O Botafogo mexeu para renovar o fôlego e manter a pegada na marcação. Primeiro saiu Brendon para a entrada de Antônio Villa. Depois, João Felipe, Rafael Lobato e Rhuan Lucas substituíram Peloggia, Sapata e Maranhão. Com as mudanças, o time passou a jogar com uma trinca no meio-campo formada por Felipe Vieira, Rhuan Lucas e João Felipe. Léo Pedro assumiu o comando de ataque e Antônio Villa foi para o lado esquerdo.

O Glorioso mostrou maturidade no momento decisivo do jogo. O time conseguiu usar a posse de bola para controlar a partida e esteve mais próximo de marcar o segundo gol do que o Lemense de alcançar o empate. Aos 32 minutos da etapa final, na primeira vez que tocou na bola, Rafael Lobato fez grande jogada driblando da direita para dentro e batendo forte de canhota, obrigando o goleiro a fazer boa defesa.

Desgastados e sem peças de qualidade no banco para mudar o jogo, os paulistas lançaram um dos zagueiros ao ataque para esboçar uma pressão, mas a defesa alvinegra não se desesperou. No apagar das luzes, Léo Pedro definiu a classificação em um contra-ataque. O atacante conduziu, esperou a definição das movimentações e decidiu ele mesmo finalizar a jogada para marcar o segundo gol do Glorioso e fechar o placar.

Fonte: Redação FogãoNET

Notícias relacionadas