O movimento do Botafogo para profissionalizar o departamento de futebol a partir de 2020, após o estudo encomendado pelos irmãos Moreira Salles, foi destacado na Soccerex, principal feira de negócios de futebol do mundo, realizada na semana passada em Oeiras, Portugal.

E o responsável por isso foi o advogado Pedro Trengrouse, do escritório Trengrouse Advogados, que palestrou em um dos painéis do evento. O assunto em pauta era os investimentos privados no futebol.

– Há um clube no Brasil que seria interessante mencionarmos: Botafogo. Provavelmente é o clube, junto com o Santos, que mais cedeu jogadores para a Seleção Brasileira na história. Clube de Garrincha Nilton Santos. Eles acabaram de decidir que querem um investidor. Querem separar o futebol do clube social. Criar uma empresa, na qual o clube não estaria envolvido na gestão. É a primeira vez que um grande clube brasileiro aceita ter um investimento desse tipo. Vamos dizer (por exemplo) que o Manchester United queira gerir esse clube do Brasil. Ele teria 100% do controle administrativo do clube (diferentemente dos demais). Geralmente, os clubes brasileiros querem investimentos para eles mesmos gerirem. Quem vai querer investir em um clube que não é bem gerido? Isso é difícil de encontrar – discursou (assista no fim da matéria).

Investidores já se interessam pelo Botafogo

Pedro esteve ao lado de Andrew Nestor, um dos parceiros do Bologna, da Itália, e de Oliver Seitz, diretor de negócios do Deportivo Alavés, da Espanha. Na plateia, figuras como Deco, vencedor da Liga dos Campeões com Porto e Barcelona, e demais dirigentes do continente. Em contato com o Boletim do C.E, o Fifa master revelou que já houve interesse de investidores no Fogão depois da sua participação na Soccerex.

– Lá estavam representantes de todas as principais ligas europeias, Fifa, Uefa e de todos os principais clubes europeus, inclusive agentes de jogadores. Enfim, diversos profissionais da indústria do esporte. Vários investidores mostraram interesse ao saber que o Botafogo estava disposto a profissionalizar 100% a gestão – relatou o professor da Fundação Getulio Vargas (FGV) à coluna do FogãoNET.

Assista ao vídeo abaixo:

 

Fonte: Redação FogãoNET