O jornalista Marcelo Courrege, correspondente do Grupo Globo na Copa do Mundo da Rússia, relembrou brevemente, na noite da última segunda-feira, no programa “Bem, Amigos”, do SporTV, a emoção de escutar histórias do Botafogo durante a cobertura da competição no meio do ano.

– Eu queria trazer um testemunho e falar da importância das excursões. Até hoje na Rússia, Santos e Botafogo são referências absolutas do futebol brasileiro. Pessoas de 80/85 anos conversam com a gente descrevendo jogos que viram ali pela Rússia ou pela antiga Iugoslávia. Na Sérvia, eu vi uma vez no museu do Estrela Vermelha, uma parte dedicada ao Botafogo, ao Garrincha. É algo que foi muito importante para formação do futebol brasileiro no imaginário do estrangeiro – contou.

Indagado na manhã desta terça-feira se o Fogão e o Santos eram os maiores clubes do Brasil no Twitter, o repórter disse que a dupla de alvinegros fez o país europeu gostar mais do futebol.

“Em termos de história e serviços prestado ao futebol brasileiro, não tenho a menor dúvida. Era super emocionante ouvir referências ao Santos e ao Botafogo em russo. Saber como aqueles times incríveis fizeram os países daquela parte do mundo amarem mais o Brasil e o futebol”, respondeu.

Em março deste ano, já no país-sede do Mundial a trabalho, Courrege havia destacado a popularidade do Glorioso.

“O Botafogo é gigante!!! Aqui na Rússia os primeiros clubes brasileiros citados são Botafogo, Santos, e Flamengo (Zico e muito URSS X Brasil nos 80.) As diversas excursões do Botafogo de Garrincha pelo leste europeu explicam a popularidade. Já a fama do Santos é pelo Pelé”, postou.

Marcelo Courrege tem 36 anos, pertence a uma família de botafoguenses e chegou a jogar basquete pelo clube de General Severiano, mas não é torcedor do Fogão.