Campeão da Copa do Brasil com o Athletico-PR na última quarta-feira, o atacante Rony lamentou, na tarde desta sexta-feira, não ter conseguido fechar com o Botafogo em 2018, assim que voltou da sua primeira experiência fora do Brasil, no Albirex Niigata, do Japão. Cedido ao clube japonês pelo Cruzeiro, os asiáticos exigiram exercer a cláusula de compra do jogador no fim do empréstimo e travaram a negociação com o Fogão.

Autor do gol que sacramentou o título nacional inédito do Furacão no Beira-Rio, sobre o Internacional, Rony disse que gostaria de ter jogado no Botafogo, clube que tem um “carinho enorme“. Ele ainda revelou uma sondagem da diretoria alvinegra feita em 2016, quando acabou se destacando na Série B do Campeonato Brasileiro com a camisa do Náutico. Foram 11 gols marcados, o que chamou a atenção da Raposa para a temporada seguinte.

– Voltei para o Brasil com uma expectativa de voltar ao futebol brasileiro e disputar uma Série A. Estava muito feliz de estar sendo negociado com o Botafogo, mas infelizmente não deu certo, né? Meu pai, que considero como empresário, estava organizando tudo, mas infelizmente não deu certo. Então ficou aquele imbróglio que vocês acompanharam. Eu queria, eu queria ir para o Botafogo, um clube que sempre tive uma admiração muito grande, até porque me procuraram no começo de 2016, quando eu estava no Náutico. Tenho um carinho enorme pelo clube. Eu tenho isso na minha cabeça: quando Deus nos dá as coisas, sempre nos coloca nas coisas melhores. Soube esperar o tempo que foi preciso. Foram praticamente oito meses de luta com negócio de Justiça e documentos. Tive que esperar esse tempo todo para poder jogar. Eu também agradeço muito ao Clube Athletico Paranaense por ter comprado minha briga, principalmente o presidente que nos ligou e disse que queria nos ajudar – contou Rony em entrevista ao programa Seleção SporTV.

Fonte: Redação FogãoNET