O técnico botafoguense Jair Ventura saiu na frente na corrida para comandar o Corinthians em 2017. O Blog apurou que, minutos depois da demissão de Oswaldo de Oliveira, o telefone de Jair tocou, na tarde desta quinta-feira. Do outro lado da linha, um representante do Corinthians perguntou como andava sua renovação de contrato com o Botafogo.

O filho do ex-atacante Jairzinho contou que o novo vínculo com o Botafogo ainda não foi renovado porque uma promessa feita pelo presidente Carlos Eduardo Pereira, relacionada ao acordo, não havia sido cumprida ainda. No contato telefônico, o corintiano confirmou o interesse de contratá-lo para o lugar de Oswaldo e quis saber sua pretensão salarial.

O nome de Jair Ventura agrada ao grupo de Andrés Sanchez, que cobra a chegada de um treinador com perfil moderno – Vanderlei Luxemburgo e Guto Ferreira, que também estão cotados, são considerados ultrapassados na comparação com Tite, que deixou um legado forte no clube. Oswaldo de Oliveira, por exemplo, foi muito criticado pelo elenco por causa da longa duração dos treinos.

Antes e depois da reunião do Conselho Deliberativo do Corinthians, na noite desta quinta-feira, um dos temas mais comentados nas rodinhas foi o sucessor de Oswaldo. Os contrários à ideia de Jair lembram que ele tem pouca experiência como técnico e fez toda sua carreira no Botafogo.

Jair assumiu o Bota em agosto, depois de Ricardo Gomes deixar o clube para dirigir o São Paulo. Com 12 vitórias, três empates e cinco derrotas, o jovem, de 38 anos, conseguiu tirar a equipe da zona de rebaixamento e a classificou à Libertadores de 2017 com a quinta colocação no Brasileirão.

O comandante botafoguense está na Granja Comary, em Teresópolis, no Rio de Janeiro, participando de um curso para treinadores promovido pela CBF. Além dele, participam do treinamento Zé Ricardo, Eduardo Baptista, Taffarel, Dida, entre outros.

O Blog revelou nesta quinta-feira que a demissão de Oswaldo vai custar aproximadamente R$ 1 milhão aos cofres alvinegros. O treinador foi dispensado contra a vontade do presidente Roberto Andrade – ele, porém, teve de fazê-lo para não amenizar o risco de um impeachment.

Fonte: Blog do Jorge Nicola - Yahoo! Esportes