Cerca de 15 torcedores invadiram o Estádio Nilton Santos, foram ao campo de treinos e tiraram satisfação com os jogadores do Botafogo, nesta quarta-feira. A situação só foi amenizada porque o técnico Eduardo Barroca aceitou conversar com os botafoguenses.

Em tom duro, o gerente de futebol Anderson Barros concedeu entrevista coletiva e repudiou a invasão.

– O Botafogo não aceita, é inadmissível. De alguma forma nós erramos, porque permitimos que os torcedores entrassem. Eu entendo que isso é uma invasão. É a nossa casa, é o nosso trabalho. Mas naquele momento, para que se evitasse o pior, a gente tentou conversar e mostrar que o caminho não era o da discussão, da briga – afirmou Anderson, lembrando os casos recentes em Fluminense Cruzeiro.

– Acho que está se tornando uma coisa muito comum no futebol. Nós, os profissionais, e os profissionais da imprensa não podemos valorizar esse momento. Isso é uma situação muito delicada no futebol. Aconteceram na semana passada vários movimentos como esse, está acontecendo nessa semana com o Botafogo. A gente não pode admitir isso. É uma falta de respeito muito grande – reclamou.

O dirigente afirmou que o Botafogo deve tomar providências contra este topo de ação e isentou a polícia de clube.

– O Botafogo precisa se posicionar, tomar providências. Nós fomos extremamente educados com todos aqueles que invadiram o Estádio Nilton Santos, mas isso é uma coisa que a gente não pode mais aceitar – declarou, em trecho reproduzido pelo site “Globoesporte.com”.

Fonte: Redação FogãoNET e Globoesporte.com