Arena Pernambuco espera 20 mil pessoas no clássico

Compartilhe:

Em tempos de cariocas impedidos de mandarem jogos no Rio de Janeiro, eis que o clássico Botafogo x Fluminense, domingo, ocorrerá na Itaipava Arena Pernambuco. O fato – um tanto raro na história do “Clássico Vovô” – gerou muita repercussão negativa em meio a torcedores e jornalistas do Recife. Por tudo isto, o Blog Teoria dos Jogos entrou em contato com Sinval Andrade, diretor-presidente do consórcio, que nos prestou alguns esclarecimentos e expôs parte do modelo de negócios em vigor.

De início, o administrador disse que boa parte da especulação pela imprensa local se deu por falhas na comunicação do próprio conglomerado. Sinval reconhece que as restrições se dão pelo perfil das torcidas do Recife, um tanto blindadas a influências de outros estados*. Ainda assim, mediante a urgência na solicitação do Botafogo (mandante da partida) caberia ter intercedido mais cedo, de modo a aplacar a má impressão.

De fato, para a vinda do clássico carioca foi necessário alterar a data da partida entre Náutico e Ponte Preta. Mas Sinval não considera um desprestígio ao alvirrubro, pelo contrário. Segundo ele, além de os pernambucanos ganharem um dia a mais na preparação para o jogo seguinte, a modificação se deu para que o próprio Náutico fosse agraciado com a inauguração em partidas oficiais. Adicionalmente, haveria uma pequena compensação financeira não revelada.

Ainda sobre o clássico, Andrade revelou se tratar de uma gentileza entre as diretorias, sendo que o Glorioso abrirá sua estrutura de treinamentos no Rio de Janeiro assim que o Náutico requisitar. A logística adversa, que fez o Botafogo sair de Volta Redonda até o Nordeste, seria outra razão para o clássico domingo, em detrimento de Náutico x Ponte. Todo o operacional e a comercialização de ingressos estariam a cargo dos cariocas. Não haveria participação do consórcio na receita, apenas um ressarcimento pelos custos fixos. Embora soe otimista, Sinval estima aproximadamente 20 mil presentes a Botafogo x Fluminense.

Quanto ao jogo de sábado, ele adiantou que sempre estarão disponíveis 15 mil ingressos para o programa “Todos com a Nota”, do governo de Pernambuco. Destes, 10 mil já foram trocados, gerando expectativa de 20 a 25 mil torcedores. A ocupação abaixo da capacidade total não preocupa, já que o modelo de exploração vislumbra receitas além da venda de ingressos. Dos 106 camarotes, cuja locação varia de R$ 50 mil a R$ 300 mil anuais, cerca de 35% foram comercializados. Do mesmo modo, vendeu-se 300 assentos VIPs de um universo de 4.700. Bares, placas publicitárias, estacionamento e naming rights (R$ 10 milhões por 20 anos) estão no portfólio do grupo.

Sinval finalizou afirmando que foi estabelecido um grupo de mobilidade, resultando em planos de ação diferentes da Copa das Confederações. A locomoção, muito criticada durante o torneio, contará com a plena utilização do estacionamento (mais de 4 mil vagas), uma estação de metrô a mais e livre acesso aos táxis, até então vedados pela FIFA. Por tudo isto, a Itaipava Arena Pernambuco já estaria capitalizando com eventos externos, como a futura gravação do DVD de Cláudia Leitte e um show room automobilístico na área externa. Quanto à utilização do estádio por outros clubes, nada de concreto. Na principal sondagem, cogitou-se a final da Copa da Itália, entre Lazio e Roma, no estádio pernambucano*.

O Blog agradece ao diretor-presidente do consórcio, Sinval Andrade, bem como à assessora de imprensa Patrícia Alves.

Um grande abraço e saudações!

Fonte: Blog Teoria dos Jogos - Globoesporte.com

Comentários