O Botafogo faturou como nunca com TV em 2016.

Em sua caminhada que teve como resultado final a conquista da vaga na Libertadores, o time de General Severiano viu a sua receita com direitos de transmissão praticamente dobrar e saltar de R$ 53.516 milhões para R$ 100.747 milhões na última temporada. A cúpula alvinegra teve o reforço em seu caixa das luvas de R$ 40 milhões pagas pela Rede Globo, detentora dos direitos de transmissão do Brasileiro.

A cifra se refere ao bônus pela assinatura do contrato do campeonato entre 2019 e 2024.

A grana botafoguense com televisão foi responsável pela fatia de mais de 64% de sua receita total de R$ 156.267 milhões acumulada em 2016, conforme prestação de contas encaminhada pelo clube ao seu Conselho Deliberativo.

As cotas de TV e luvam tiveram participação direta no aumento de 37% no faturamento em relação a 2015.

Com mais dinheiro em caixa, o Botafogo aumentou também o seu gasto com o futebol de R$ 76.257 milhões para R$ 100.495 milhões no ano passado.
Em dia de reencontro entre Loco Abreu com o Botafogo, quem brilhou foi Sassá

Sem maiores alternativas de receita como patrocínio e negociação de direitos econômicos de jogadores e sendo obrigado ainda a investir na Arena da Ilha do Governador, R$ 13 milhões, a equipe fechou o balanço com um déficit de R$ 9.243 milhões.

“Com relação a este déficit do exercício de 2016, não podemos deixar de ressaltar que a maior responsável foi às despesas com a Arena da Ilha do Governador, que sem a mesma, com certeza fecharíamos o exercício com superávit, mas quiçá não poderíamos afirmar que o resultado do futebol seria o que foi apresentado”, diz parecer de Conselho Fiscal.

Os números serão votados pelos membros do órgão na próxima quinta-feira, 30.