Botafogo e Fluminense se enfrentam nesta quinta-feira, às 21h45 (de Brasília), no Estádio Nilton Santos, no clássico da terceira rodada da Taça Rio, o 2º turno do Campeonato Carioca.

Já garantido na fase final do Estadual por ter vencido a Taça Guanabara, o Fluminense, que tem três pontos no Grupo C, busca de recuperar da derrota por 3 a 1 sofrida para o Nova Iguaçu,no último domingo, quando utilizou seus reservas. Além disso, é preciso encontrar motivação em uma fórmula de disputa que não lhe dará nenhuma vantagem caso vença também o segundo turno.

O Botafogo, por outro lado, precisa do resultado. Após o empate sem gols com o Vasco, no domingo passado, o time chegou aos quatro pontos no grupo B e aparece fora da zona de qualificação para as semifinais, mas está de olho mesmo na classificação geral, que leva em consideração os dois turnos e na qual aparece na quarta colocação.

Os dois treinadores passaram os últimos dias mostrando a seus comandados o que representa essa partida. A necessidade de vitória tornou essa tarefa mais tranquila para Jair Ventura, comandante do Botafogo. “Precisamos ganhar porque temos que somar pontos para não corrermos riscos de não estarmos na final, que seria muito ruim. Além disso, é um jogo que tem um peso importante. O clássico dá um friozinho na barriga a mais. Coisas que acontecem ficam marcadas durante anos”, disse Jair.

Abel Braga treinador do Fluminense, garante porém que sua equipe não vai facilitar as coisas para o rival. “Nós precisamos voltar a somar pontos na Taça Rio e com certeza esse jogo contra o Botafogo aumenta muito o nosso interesse, pois é um concorrente direto, um clássico e isso mexe muito com os torcedores. Acredito que vamos conseguir voltar a render mais do que conseguimos em algumas apresentações recentes, pois o ritmo de jogos vinha sendo muito intenso e essa parada foi importante”, disse Abel, explicando ainda os motivos de ter poupado os titulares contra o Nova Iguaçu.

O elenco confirma a motivação prometida pelo comandante. “Para nós é um jogo muito importante, um clássico e isso sempre mexe com os jogadores. O Fluminense também pretende chegar à final da Taça Rio e ganhar o título do segundo turno para entrar com muita moral na fase mais decisiva do Estadual”, prometeu o zagueiro Henrique.

Esse empenho, porém, não chega a surpreender o Botafogo, que minimizou um suposto desinteresse do adversário.”A rivalidade em um clássico sempre fala muito alto e por isso mesmo não podemos esperar nenhum tipo de facilidade. Sabemos que teremos problemas pois o Fluminense também quer o resultado positivo pois vem de uma derrota. Não vejo desinteresse por parte de nosso adversário, porém, muitas vezes é preciso poupar peças e foi o que fizemos no primeiro turno, por exemplo, mas sem deixarmos de brigar pelos três pontos”, disse o zagueiro Emerson Silva.

Em termos de escalação, os dois times têm problemas. O Botafogo vai precisar apelar para Saulo, seu quarto goleiro, uma vez que Jefferson ainda está em transição entre o departamento médico e a preparação física, Helton Leite não se recuperou de lesão na coxa direita e Gatito Fernández está servindo à seleção paraguaia nas Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018. Quem reaparece após ser poupado contra o Vasco é o atacante Rodrigo Pimpão, que ganha a vaga de Guilherme.

Pelo lado do Fluminense, a ausência é o volante Jefferson Orejuela, que está com a seleção do Equador nas Eliminatórias. Assim, a tendência é que Wendel ganhe a vaga. O lateral direito Lucas, recuperado de lesão na coxa direita, volta na vaga de Renato.

FICHA TÉCNICA
BOTAFOGO X FLUMINENSE

Local: Estádio Nilton Santos, no Rio de Janeiro (RJ)
Data: 23 de março de 2017, quinta-feira
Horário: 21h45 (de Brasília)
Árbitro: Maurício Machado Coelho Júnior (RJ)
Assistentes: Gabriel Conti Viana e João Luiz Coelho de Albuquerque (ambos do RJ)

BOTAFOGO: Saulo, Marcinho, Joel Carli, Emerson Silva e Víctor Luís; Aírton, Bruno Silva, Camilo e Walter Montillo; Rodrigo Pimpão e Roger
Técnico: Jair Ventura

FLUMINENSE: Diego Cavalieri, Lucas, Renato Chaves, Henrique e Léo Pelé; Wendel, Douglas e Júnior Sornoza; Wellington Silva, Henrique Dourado e Richarlison
Técnico: Abel Braga

Fonte: ESPN.com.br