O fim de ano para a diretoria do Botafogo está sendo de muitos ajustes financeiros. Mesmo com o reingresso ao Ato Trabalhista, o clube convive com um cenário de lutas na Justiça do Trabalho. Com recursos penhorados, o 13º e parte dos salários de novembro estão atrasados. Em entrevista exclusiva à reportagem da SUPER RÁDIO TUPI, o presidente Carlos Eduardo Pereira afirma que não fará loucuras para contratar reforços e garante que a prioridade é quitar as dívidas com os funcionários do clube.

“É um momento difícil para o Botafogo. Chegamos no fim do ano tendo cumprido com todas as nossas obrigações ao Ato Trabalhista. Recolhemos mais de R$ 13 milhões em dia e pretendemos pagar R$ 15 milhões em 2016. A justiça fez o Ato Trabalhista para ordenar a fila de credores e é fundamental que isso seja respeitado dentro da capacidade de pagamento do clube. Infelizmente alguns funcionários conseguem medidas junto a juízes de primeira instância que levam a bloqueio de montantes que o Botafogo tem a receber e casos absurdos como o bloqueio da minha própria conta bancária, do vice-geral Nelson Mufarrej e de um conselheiro unicamente por sermos administradores da empresa que é a detentora da concessão do estádio Nilton Santos, da qual não somos acionistas, mas apenas gestores. Com essa situação deixamos de atender os nossos funcionários em um momento crítico, e o surreal dela é que é fruto da Justiça do Trabalho que existe para proteger os direitos dos trabalhadores. Garante e esclareço aos funcionários que o Botafogo não fará loucuras para contratar jogadores antes de quitar com os nossos funcionários. Eu como principal responsável passo por um momento de muito constrangimento e muita luta para superar dificuldade. Nossa prioridade é liberar os recursos e quitar nossos pagamentos”, disse o mandatário.

Apesar das dificuldades, Carlos Eduardo Pereira confia na montagem de um time que represente com qualidade o Botafogo em 2016.

“A gente entende a ansiedade do torcedor, que tem referenciais de muita qualidade na história do clube. Estamos em dezembro, temos o mês de janeiro para fazer a preparação da estreia no Campeonato Carioca. A equipe que está trabalhando é de muita competência e vamos ter um time capaz de representar na próxima temporada.”

Devido uma ação conseguida no TRT-RJ pelo ex-meio campista Túlio Lustosa, mais de R$ 2 mil foram penhorados do presidente Carlos Eduardo Pereira e do Vice-geral Nelson Mufarrej. O representante do Conselho Deliberativo da Cia Botafogo, Heraldo Lopes de Almeida, teve bloqueado R$ 262.282,06 de sua conta.

Fonte: Super Rádio Tupi