A crise econômica que assola o país chegou ao Engenhão. Por conta de falta de pagamento, o estádio que receberá a disputa de Atletismo nos Jogos Olímpicos em 2016 teve água e luz cortados nestes últimos dias de 2015.

A informação foi divulgada inicialmente pelo site “Globoesporte.com” e confirmada à reportagem pela diretoria do Botafogo. Somados, os débitos chegam a R$ 900 mil e fizeram com que funcionários fossem dispensados do serviço no estádio nesta semana.

Procurado pela reportagem, o clube de General Severiano disse que não tem qualquer responsabilidade sobre as cobranças.

“Estamos conversando com Light [companhia de luz] e Cedae [companhia de água] para tentar resolver isso e manter o estádio funcionando. Mas vale lembrar que essa conta não é nossa. Não posso pagar uma obrigação dos outros. Isso é da Prefeitura. Estamos há dois meses sem o repasse para a manutenção do Engenhão”, explicou o vice-presidente de estádios do Botafogo, Anderson Simões.

Igualmente procurada, a Prefeitura do Rio, que ainda não havia sido informada sobre o fato, ficou de apurar os cortes e enviar uma resposta.

Dispensados nestes dias sem luz e água, os funcionários do Botafogo não voltarão ao Engenhão tão cedo nem mesmo com a situação regularizada. Isso porque o estádio será entregue à Prefeitura já em janeiro de 2016, quando será disponibilizado também para o Comitê Olímpico Internacional, responsável pela organização dos Jogos Rio 2016.

Fonte: BOL