O Botafogo respirou aliviado após vencer o CSA, na última segunda-feira (21), no Estádio Nilton Santos. Na partida, a diretoria realizou uma série de promoção e viu o resultado nas arquibancadas: 18.199 pessoas. Tudo deu tão certo que a diretoria quer manter essa união e deverá oferecer preços populares até o fim do Campeonato Brasileiro, onde a prioridade é escapar do rebaixamento.

Contra o Cruzeiro, próxima partida no Nilton Santos – no dia 31, pela 29º rodada -, o Botafogo disponibilizou ingressos a partir de R$ 5 (meia entrada) para a Leste Superior e R$ 15 na Leste Inferior. A medida de não abrir os setores Norte e Sul causou um impacto positivo na atmosfera do estádio, mantendo os torcedores unidos em um só local.

Os jogos no Nilton Santos são vistos como fundamental para o Botafogo se manter na primeira divisão. No próximo domingo, o Alvinegro encara o Grêmio, em Porto Alegre. Mesmo assim, a partida da próxima quinta-feira (dia 31), contra o Cruzeiro já está em pauta.

“A gente sabe que no Brasileiro que muita coisa pode acontecer quando você fica duas ou três rodadas sem pontuar, tanto para o bem quanto para o mal. Com essa vitória, temos que pensar em subir na tabela já contra o Grêmio. Temos tentando pensar muito à frente, estamos focados sempre no próximo”, disse João Paulo.

Um dos jogadores mais identificados com o clube, Marcelo explicou o porquê do time ter tido atitude diferente contra o CSA. Ele citou um lance bem específico. No momento em que o adversário empatou de pênalti, já no meio do segundo tempo, a torcida explodiu e passou a cantar ainda mais alto para incentivar.

“O pênalti acabou acontecendo e o Gatito quase pegou. A torcida reconheceu, cantou como se a gente tivesse feito um gol e não tomado. Isso faz a gente crescer, não tem jeito. Graças a Deus buscamos o gol da vitória com o Igor e eles fizeram parte disso também”, finalizou o zagueiro.

Vote nas enquetes abaixo:

Fonte: UOL