Ficou claro nas declarações do coordenador médico do Botafogo Luís Fernando Medeiros, afastado do cargo no início da semana, que havia (e há!) delicadas divergências na preparação física dos jogadores.

A frase “médico não provoca lesões”, proferida pelo ortopedista em sua recente entrevista ao Globo Esporte.Com, já era repetida com frequência nas internas de General Severiano quando já se sabia que as mudanças no departamento seriam anunciadas.

O trabalho do preparador-físico Ednílson Sena, trazido pelo diretor de futebol Antônio Lopes em 2015, tem sido bastante questionado e não é exagero dizer que pode haver mudanças também neste setor.

Fonte: Blog do Gilmar Ferreira - Extra Online