Com algumas propostas em mãos, o Botafogo não tem tanta pressa para escolher o novo fornecedor de material esportivo. O Conselho Diretor estuda as três ofertas recebidas com cuidado antes de dar a resposta final. Como ainda tem contrato com a Puma, que deixará o clube após o Campeonato Carioca, a decisão não tem data marcada. Uma das interessadas é a canadense Dry World.

A atual fornecedora foi informada no início deste mês de que havia outra proposta e teve o prazo estendido para decidir se cobriria a oferta. A empresa não quis renovar o vínculo com o alvinegro.

Enquanto a nova marca de material esportivo pode esperar, o alvinegro tem pressa nas contratações. A ideia é iniciar a pré-temporada com a espinha dorsal formada. Porém, as dificuldades são muitas. Camilo, por exemplo, era um desejo do Botafogo. Mas o meia da Chapecoense acertou com o Al Shabab, da Arábia Saudita. O clube pagará R$ 1,5 milhão pela rescisão do contrato.

O alto valor pedido pelo clube catarinense impediu a negociação. O pedido feito foi de R$ 2 milhões para vender 50% dos direitos econômicos do jogador. O Botafogo não fez contraproposta até o dia especificado.

Fonte: O Globo Online