Kléber e Henrique Almeida, os dois atacantes do Coritiba na reta final do Brasileirão, devem ter destinos diferentes em 2016. O primeiro tem grande chance de renovar, enquanto o segundo deve deixar o clube ao fim do ano. Ao menos é o que indicou nesta quarta-feira (9) o diretor de futebol coxa-branca, Valdir Barbosa.

Os contratos dos dois atacantes com o Coritiba estão no fim. A diferença é que Kléber não está vinculado a ninguém, ao passo que Henrique Almeida está preso ao Botafogo até o fim de 2016. O clube carioca pretende negociá-lo com outro clube e não mais emprestá-lo. “O empresário (do Henrique) foi sincero, não abriu muita perspectiva para que ele fique aqui em 2016”, admitiu Barbosa, nesta quarta-feira (9), em entrevista coletiva no Alto da Glória. Segundo ele, para ficar com o jogador, o clube paranaense teria que desembolsar algum dinheiro – algo que não passa pela cabeça do dirigente.

O caso de Kléber é diferente. “A negociação está bem encaminhada”, falou Barbosa. Questionado sobre a pouca produtividade de Kléber em termos de gols (apenas um, de pênalti) e assistências (nenhuma) no Brasileirão, o dirigente minimizou. “Não avaliamos o Kléber pelos gols. Avaliamos pelo que representou no Brasileiro. Ele foi peça importantes dessa saída do Coxa no rebaixamento”, afirmou. No ataque coxa-branca, Kléber ainda sofreu dois pênaltis – um dos quais ele desperdiçou. Henrique Almeida, por sua vez, fez 12 gols e deu um passe para gol.

Barbosa também anunciou a renovação de contrato com o meia Guilherme Parede por mais 3 anos. “E mantivemos contato com o procurador do Juan (meia), o Eduardo Uram. Há o interesse em permanecer”, disse o dirigente. “Esses são os primeiros. A partir de agora, a gente vai ter conversas com o Gilson Kleina (treinador) para ver quem ele pretende que venha para reforçar ou quem ele acha que não deve permanecer”.

Barbosa ainda negou que tivesse recebido uma proposta do Internacional pelo zagueiro Walisson Maia.

Fonte: Bem Paraná