Engenhão: 3 meses fechado, corte de gastos e sem obra

Compartilhe:

O Engenhão completa, nesta quarta-feira, exatos três meses de interdição e, até aqui, as obras necessárias para consertar a cobertura ainda não começaram, apesar de a prefeitura já ter determinado início imediato há mais de duas semanas.

Sem poder utilizar o estádio, o Botafogo cortou diversos gastos de manutenção. E uma das primeiras medidas tomadas foi o empréstimo das máquinas que produziam luz artificial para o campo, que já resultou em considerável economia para os cofres alvinegros. Com a cessão dos aparelhos aos estádios do Maracanã e Mané Garrincha, o Glorioso evitou a deterioração dos instrumentos – comprados por R$ 1,5 milhão, em 2011 – e economizou R$ 300 mil em contas de luz.

Por cada mês sem uso depois do empréstimo, o Botafogo deixou de pagar R$ 100 mil nas contas de luz. Sem cortar custos básicos com a manutenção do gramado, o terreno de jogo encontra-se impecável e as máquinas continuam em pleno funcionamento, mesmo fora do clube. Entre tantos prejuízos com a interdição, o alívio alvinegro em dose dupla neste caso é motivo de destaque.

 

Fonte: Lancenet!

Comentários