Com os Jogos Olímpicos no Rio em 2016, o Maracanã e o Estádio Nilton Santos vão ser utilizados totalmente para o evento. O diretor de competições da Federação de Futebol do Rio de Janeiro disse que está mantendo contato com o Comitê Olímpico Internacional (COI) para que o Estádio Nilton Santos esteja a disposição nas semifinais e finais do Campeonato Carioca e o Maracanã até a terceira fase do segundo turno. O presidente do Botafogo Carlos Eduardo Pereira, em conversa com a reportagem da SUPER RÁDIO TUPI, falou sobre como está o andamento das obras do estádio.

“A relação com a prefeitura tem sido complicada nesse ano. Em relação as obras a gente tem um grande problema que é a recomposição da pista de atletismo, ela circunda todo o campo e não pode ser pisada, tem uma série de limitações. O nosso departamento, toda a equipe do estádio está acompanhando isso, vendo questão de prazo, tempo que esse equipamento vai ficar pronto. Em relação ao campo, está muito bom. Depende muito mais da prefeitura e do Comitê Olímpico. Vamos aguardar e ver as definições.”

Sobre o Caio Martins, que está sendo reformado, o dirigente afirmou que o clube tem um projeto para aumentar a capacidade do estádio e espera poder realizar jogos contra equipes de menores portes.

“A gente tem um projeto para preparar o Caio Martins para a disputa do Campeonato Brasileiro colocando mais arquibancadas e elevando a capacitação para 15 mil lugares. Infelizmente, o momento que o país atravessa não nos permitiu captar recursos com a iniciativa privada. Então, já estamos com o gramado recuperado, estamos ultimando os orçamentos para a recuperação da arquibancada frontal, com isso já devemos ter entre cinco e seis mil lugares. É a intenção do Botafogo jogar lá contra equipes menores. A ideia é que a gente jogue as partidas de menor porte no Caio Martins.”

Sem poder usar o Maracanã e o Estádio Nilton Santos, os clubes do Rio estão procurando algumas saídas como a utilização do estádio da Portuguesa, na Ilha do Governador. Carlos Eduardo Pereira disse achar difícil a utilização pelo alto custo envolvido.

“Tem um grupo trabalhando nisso, o Botafogo está participando. Eu pessoalmente acho difícil, é um investimento alto, dependendo de capacitação de recursos pela lei de incentivo do futebol pelo Governo do Estado. Nós tivemos com  o governador Pezão que deu todo apoio a iniciativa, mas a gente sabe que o momento do Brasil é complicado. Captar 24 milhões, considerando que a empresa que investir vai ter que colocar 20% desse total, é um investimento muito alto. Se o estádio sair, a reforma do Caio Martins vai perder o sentido, mas não a preparação do estádio para os jogos de pequeno porte. Os clássicos podem ser disputados em Juiz de Fora-MG. Vitória-ES também é uma opção. “

Fonte: Site da Rádio Tupi