Prefeitura decreta início imediato das obras no Engenhão

Compartilhe:

A Prefeitura do Rio de Janeiro decretou, nesta segunda-feira, através de publicação no Diário Oficial do Município do Rio de Janeiro, que o consócio formado pelas empresas Racional, Delta e Recoma e o consórcio Engenhão, formado por OAS e Odebrecht, iniciem imediatamente as obras de reforço estrutural na cobertura do Engenhão. O primeiro consórcio seria o responsável pelo setor Oeste do estádio, enquanto os setores Leste, Norte e Sul ficariam a cargo do segundo.

Na última sexta-feira, em entrevista coletiva de emergência convocada pela Prefeitura, membros da comissão especial contratada para analisar as condições do estádio disseram que a cobertura precisará passar por um reforço estrutural imediato, que levará em torno de 18 meses para ser concluído. Segundo o engenheiro Sebastião Andrade, o secretário municipal de obras, Alexandre Pinto, e o presidente da RioUrbe, Armando Queiroga, o estádio não oferece condições mínimas de segurança ao público.

Na ocasião, a comissão especial disse que não havia uma previsão para os custos da obra, mas garantiu que eles não seriam de responsabilidade da prefeitura.

rio urbe diário oficial (Foto: Reprodução)Prefeitura decreta o início da reforma no Diário Oficial (Foto: Reprodução)

O Engenhão, construído para a realização do Pan-Americano de 2007 e alugado ao Botafogo, está fechado desde o dia 26 de março após o poder municipal receber um laudo da empresa alemã SBP, que constatou problemas na cobertura do estádio. A interdição foi cercada por polêmicas e desinformação. Em resposta ao laudo alemão, uma empresa da Inglaterra (RWDI) analisou os dois estudos – da Alemanha e o original da empresa canadense, que fez os cálculos estruturais – e referendou o estudo do Canadá, que apontava até três vezes menos riscos na estrutura que os alemães.

O grande ponto de divergência entre os dois cálculos diz respeito à segurança da estrutura em caso de ventos muito fortes no Rio de Janeiro. Segundo a RWDI, haveria riscos – mas não de colapso – apenas em casos de ventos acima de 115 km/h. O parecer da SBP, no entanto, aponta que já há perigo se os ventos atingirem 63 km/h.

Confira as publicações no Diário Oficial:

“06/500.132/2003 – CONSÓRCIO RACIONAL DELTA RECOMA. Em vista do relatório final da Comissão Especial designada para analisar os laudos e estudos técnicos existentes sobre o Estádio Olímpico João Havelange, através do Decreto nº 37.152, de 14 de maio de 2013, e ainda  em vista da responsabilidade legal desse Consórcio pela estrutura referente ao Setor Oeste do Estádio, fica o Contratado NOTIFICADO para  dar início imediato à execução das obras de reforço estrutural dos arcos e cobertura do Estádio, de forma que o mesmo possa ser utilizado com os  níveis mínimos de segurança exigida pela legislação vigente”.

”06/503.494/2006 – CONSÓRCIO ENGENHÃO. Em vista do relatório final da Comissão Especial designada para analisar os laudos e estudos técnicos existentes sobre o Estádio Olímpico João Havelange, através do Decreto nº 37.152, de 14 de maio de 2013, e ainda em vista da responsabilidade legal desse Consórcio pela estrutura referente aos Setores Norte, Sul e Leste do Estádio, fica o Contratado NOTIFICADO para dar início imediato à execução das obras de reforço estrutural dos arcos e cobertura do Estádio, de forma que o mesmo possa ser utilizado com os níveis mínimos de segurança exigida pela legislação vigente”.



Fonte: Globoesporte.com
Comentários