No primeiro ano da nova diretoria do Botafogo, o clube realizou boas mudanças nos planos de sócios-torcedores e conseguiu ter um aumento significativo no número de botafoguenses adquirindo os novos planos. Em conversa com a reportagem da Super Rádio Tupi o presidente Carlos Eduardo Pereira falou sobre projeto com novos benefícios para atrair mais torcedores em 2016.

“Temos algumas considerações, a primeira é de que o sócio nesse ano de 2015 ficou ancorado na presença do torcedor nos jogos, com a possibilidade do sócio de assistir as partidas no estádio Nilton Santos. Para 2016 vamos ter mudanças, pois a ancoragem no estádio diminui bastante com os jogos sendo no Caio Martins e sem um grande estádio na disputa de clássicos. A ênfase é para planos de menor custo e oferecer maiores benefícios na parte de desconto, tentando atrair os botafoguenses. Claro que o programa pode sofrer correções ao longo do ano, é importante que a torcida entenda que o programa é totalmente direcionado para a equipe de futebol.”

O dirigente também disse sobre objetivo de meta de número de sócios para próximo ano

“A gente tinha em 2014 algo em torno de 8.500 sócios, deu um salto rápido, cresceu para 14 e aí evoluiu pouco chegando a 15 mil sócios. Para compensar a diminuição da contribuição mensal acho que a gente tem que chegar a pelo menos entre 20 e 25 mil sócios. É uma meta interessante para o primeiro semestre.”

Confira na íntegra :

Planejamento do CT na Barra da Tijuca – terreno cedido pela prefeitura

“Nesse terreno o Botafogo e Vasco são vizinhos, o grande problema que nos atrapalha é a questão da qualidade do solo. A estimativa que a gente fez demandaria em torno de 10 milhões só de aterro desse terreno, com isso dificulta a gente fazer algum tipo de investimento em um momento que estamos apertados. O que optamos fazer no começo do ano foi a reforma completa do Caio Martins, elevamos a superfície do gramado até contato das áreas de muro, podendo inverter a direção dos campos ao longo dos treinamentos e também dar um atendimento adequado para a base. Com o fechamento do Estádio Nilton Santos a gente deve levar o time profissional de volta a General Severiano, não só por facilidade, o campo foi totalmente recuperado, e já conta com a estrutura do CT João Saldanha. A ideia é fazer os treinamentos, depois da pré-temporada, em General Severiano.”

Meta do Botafogo em 2016

“O foco é disputar todas as competições com o mesmo peso da camisa, tradição e história. Vamos entrar com o intuito de ganhar, de fazer o melhor que estiver ao nosso alcance. Tenho muita confiança na equipe que vamos montar.”

Patrocinador Master

“A questão dos patrocinadores está diretamente ligada a exibição da equipe com os jogos serem transmitidos para a praça. Para nós isso é fundamental, tivemos muita dificuldade com isso na Série B. No Campeonato Carioca conseguimos muitos patrocínios pontuais de empresas ligadas ao comércio varejista. Esperamos no Estadual de 2016 uma nova série de patrocínios. No Nacional deveremos ter uma boa exibição, pois passamos a ter datas nobres e horários distintos da Série B. Agora a gente oferece um clube tradicional com a garantia da disputa da Série A, isso vai nos ajudar nessa busca.”

Caso Jobson

“O Botafogo torce pelo Jobson, a punição foi muito pesada, dura. Um atleta que disputa futebol em nível profissional, a punição foi muito rigorosa. A gente torce para que ele volte a jogar, seja autorizado a voltar a disputar futebol.”

Base do Botafogo

“Acho que a principal modificação desse trabalho do Botafogo na base foi quando convidamos Manoel Renha para cuidar disso. É uma pessoa fantástica, uma unanimidade dentro do clube, tem muita experiência no futebol, conhece o mercado, foi o grande salto de qualidade que o clube deu. A gente quer apoiar a base cada vez mais, tem um incremento no orçamento bem significativo, esperamos cada vez mais investir na base.”

Fonte: Super Rádio Tupi