Paralelamente à briga pela aprovação do programa de refinanciamento das dívidas fiscais dos clubes brasileiros em Brasília, o presidente do Botafogo, Mauricio Assumpção, tenta voltar ao Ato Trabalhista do Rio, programa que refinancia as dívidas trabalhistas. O dirigente revelou que uma audiência no próximo dia 7 pode trazer o clube de volta ao programa.

– Estamos tentando retornar ao Ato Trabalhista aqui no Rio, no dia 7 me parece terá uma reunião no TRT que julgará o processo de um novo Ato Trabalhista. Ao longo desses cinco, seis anos de mandato, recolhemos mais de R$ 30 milhões nesse Ato que foram usados para pagar essas dívidas trabalhistas. Se for julgado no dia 7, a possibilidade de estarmos num novo Ato é muito grande. Temos conversado com desembargadores, mostrando a importância de estarmos nesse Ato. Mas, hoje, o que mais nos traz problema é a questão fiscal – afirmou o presidente ao programa “Olha o gol!”, da Rádio Globo.

O Botafogo foi excluído do Ato Trabalhista em julho de 2013. O blog Bastidores FC, do Globoesporte.com, publicou em abril deste ano a resposta oficial do Tribunal Regional do Trabalho sobre a exclusão do Botafogo. O motivo: ocultação de receitas.

“O Botafogo foi excluído do Ato Trabalhista por força de decisão da Presidência do TRT da 1ª Região, publicada no Diário Oficial no 31 de julho de 2013, ante o descumprimento das obrigações previstas nas regras vigentes quanto à matéria (Provimentos 1/2007 e 2/2008 deste Tribunal). Baseou-se a decisão na inequívoca constatação de ocultação de receitas da Companhia Botafogo, resultando em pagamento muito inferiores aos mensalmente devidos, tendo em vista a obrigação do Clube em repassar ao TRT percentual incidente sobre as receitas auferidas tanto pelo clube quanto por “todas as empresas das quais façam parte como acionistas ou por qualquer outro meio participativo” ( Art. 3º do Ato 837/2007).”

Fonte: Redação FogãoNET