SEEDORF DECIDE CLÁSSICO E BOTAFOGO É O NOVO LÍDER

Compartilhe:

O tempo só faz Clarence Seedorf melhorar. Um dia depois de completar um ano como jogador do Botafogo, o holandês foi novamente o diferencial de sua equipe. Graças a ele, o Alvinegro venceu clássico muito equilibrado contra o Fluminense, no início da noite deste domingo, na Arena Pernambuco, e pulou para a liderança do Campeonato Brasileiro. Foi do camisa 10 o único gol da partida, aos 39 minutos do segundo tempo.

Seedorf Botafogo x Fluminense (Foto: Allan Torres / Ag. Estado)Seedorf é novamente decisivo: gol e liderança na Arena Pernambuco (Foto: Allan Torres / Ag. Estado)

Os tricolores poderão argumentar, com razão, que o placar foi um tanto cruel com o atual campeão brasileiro. O Flu foi melhor no primeiro tempo. No segundo, começou mal, mas logo equilibrou novamente a partida. E aí levou um gol fatal do craque adversário.

A vitória alçou o Botafogo a 13 pontos, um a mais que o Coritiba, o vice-líder. O Flu, com nove, é o quarto. Na próxima rodada, os tricolores recebem o Inter no sábado, em Macaé, e os alvinegros encaram o Grêmio no domingo, na Arena.

Flu é melhor no primeiro tempo

Se houvesse um júri que determinasse um vencedor para o primeiro tempo, os votos seriam para o Fluminense. Não foi avassalador, não houve esmagamentos, não teve nada de pressão insustentável, mas o Tricolor foi superior ao Botafogo na primeira metade do jogo. Os comandados de Abelão tiveram mais a bola (56% a 44%) e souberam o que fazer com ela (nove finalizações, contra três do adversário). Faltou o gol.

O Flu foi melhor desde o começo., explorando os lados do campo, especialmente a direita. Com três minutos, já teve a primeira chance, em bola alçada por Wagner e desviada por Fred, mas sem força para assustar Jefferson. O meia, pouco depois, arriscou chute forte, desviado na zaga. Conclusão de Bruno, chute de Fred e cabeceio de Gum foram outras boas oportunidades para os tricolores. Faltou perícia na hora de finalizar.

O Botafogo foi mais tímido. Saiu menos. Mesmo assim, teve alguns lampejos ofensivos. No melhor deles, Seedorf avançou pela direita e cruzou na área. Rafael Marques, porém, não conseguiu concluir.

Botafogo reage e vence o jogo

A largada do segundo tempo mostrou uma inversão de papéis entre as duas equipes. O Botafogo voltou dominante. Parecia outro time. Passou a rondar a área adversária, algo que não fizera no período anterior, e a arriscar a gol. Dois chutes quase sequenciais, um de Vitinho e outro de Dória, ameaçaram.

Mas o Flu, aos poucos, voltou para a partida. Rafael Sobis, aos 21 minutos, partiu em direção ao gol, foi acossado por Dória pelas costas e desarmado por Jefferson na frente. Pediu pênalti. Foi um lance duvidoso – o goleiro desvia a bola, mas atropela o atacante. Fred, bem marcado especialmente por Dória, guerreou por cada centímetro da área alvinegra, ciente de que qualquer detalhe poderia mudar o jogo. Mas não teve sucesso.

Parecia claro que o jogo terminaria empatado. Só parecia. Seedorf, aos 39 minutos, foi o ponto de desequilíbrio. Ele mandou chute forte de fora da área. A bola quicou e venceu o goleiro Diego Cavalieri. Gol do Botafogo. Gol da vitória.

FICHA TÉCNICA
BOTAFOGO 1 X 0 FLUMINENSE

Local: Itaipava Arena Pernambuco, em Recife (PE)
Data/Horário: 7/7/2013 – 18h30
Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhaes (RJ)
Auxiliares: Rodrigo Henrique Correa (RJ) e Wagner de Almeida Santos (RJ)
Renda e público: R$ 368.550,00 / 7.882 pagantes / 9.669 presentes
Cartões amarelos: Dória, Gabriel e Marcelo Mattos (BOT); Rhayner e Edinho (FLU)
Cartões vermelhos:
Gols: Seedorf 39’/2ºT (1-0)

BOTAFOGO: Jefferson, Lucas, Bolívar, Dória e Julio Cesar; Marcelo Mattos, Gabriel, Lodeiro (Lucas Zen 40’/2ºT), Seedorf (André Bahia 46’/2ºT) e Vitinho (Elias 30’/2ºT); Rafael Marques – Técnico: Oswaldo de Oliveira.

FLUMINENSE: Diego Cavalieri, Bruno, Gum, Digão e Carlinhos; Edinho, Jean e Wagner (Deco 37’/2ºT); Rhayner (Biro Biro 25’/2ºT), Rafael Sóbis (Samuel 37’/2ºT) e Fred – Técnico: Abel Braga.



Fonte: Globoesporte.com (texto) e Lancenet! (ficha)
Comentários