O lateral-direito Maicon, que esteve com a Seleção Brasileira nas últimas duas Copas do Mundo, começou nesta quinta-feira (6/4) um período de treinos no Botafogo. O clube, desde o ano passado, tem convivido com as lesões dos atletas que atuam na posição – o último foi Marcinho, que só voltará a jogar no segundo semestre. Como solução, o alvinegro carioca espera que o ex-jogador Roma recupere a forma física e volte a jogar uma partida, o que não acontece desde 2 de maio de 2016, há 339 dias.

Além disso, Maicon não atua em um jogo inteiro há quase um ano, desde 20 de abril de 2016. A praticamente duas semanas de completar um ano sem passar 90 minutos em campo, o lateral conviveu com várias lesões no seu último clube, a Roma. Segundo o Transfermarkt, site especializado em estatísticas do futebol, o gaúcho ficou de fora de 39 partidas nas últimas três temporadas, quando defendia o clube da capital italiana. Como ele defendeu 69 vezes a equipe italiana, as contusões tiraram Maicon de 36% dos jogos oficiais.

O histórico de lesões do lateral não se resume ao seu último clube. Desde que chegou à Inter de Milão, onde viveu sua melhor fase, em 2006, Maicon perdeu 92 jogos por problemas físicos. Foram 17 contusões, que o afastaram dos gramados por 486 dias, no total. A pior delas foi na Roma, no início de 2015, quando um problema no joelho fez o atleta perder mais de 100 dias se recuperando.

Para a posição, o técnico Jair Ventura tem mais três opções: Jonas, Marcinho e Luís Ricardo. Os dois primeiros romperam o ligamento do joelho e ainda não têm data extada para voltar. Sem jogar há sete meses, Luís Ricardo é outro nome para a lateral, mas só voltou a treinar na semana passada e também não tem previsão de retorno. Pelas baixas e por ser um jogador que agrada ao treinador, Maicon deve assinar contrato com o Botafogo para o Campeonato Brasileiro.

Fonte: Superesportes