Após a demissão de mais um técnico na temporada, o Botafogo recebe o Santos, que também passou por uma troca de treinador na última semana. O confronto é válido pela 17ª rodada do Campeonato Brasileiro. A ligação recente entre os clubes acontece por Jair Ventura ter trocado o time de General Severiano pela Baixada, mas com a saída do carioca do Peixe, os times simbolizam a era de rotatividade de treinadores acima da média no futebol brasileiro

Jair Ventura, demitido há pouco do Santos, deu lugar a Cuca. Antes no Botafogo, recebeu a proposta do time paulista, no começo do ano, e foi substituído rapidamente por Felipe Conceição, que logo saiu de cena para entrar Alberto Valentim, que por sua vez, terminou 2017 treinando o Palmeiras, após a saída de Cuca. A dança das cadeiras no comando dos times brasileiros é sempre constante, e às vezes proporcionam algumas coincidências.

Após dar certo com Jair, o Botafogo apostou em mais um nome da base, mas não teve a mesma sorte. Felipe Conceição ficou apenas seis jogos a frente do time, com atuações ruins, e após um mês no cargo veio a demissão. Valentim, então, chegou a General Severiano e conseguiu organizar a equipe. O técnico foi campeão carioca, que tinha como favorito o Flamengo, de Carpegiani. No Brasileiro, a campanha era irregular e foi interrompida por uma proposta do futebol árabe.

Na pausa para a Copa do Mundo, o Alvinegro contratou Marcos Paquetá, que estava fora do Brasil há 14 anos. A volta do treinador ao futebol nacional, no entanto, não deu certo e a aposta do clube em trazer um técnico mais barato custou caro. Em busca do quarto nome na temporada, o Botafogo vive um drama para conseguir vingar um comandante que conquiste resultados e tenha continuidade.

A situação no Santos não chega à mesma rotatividade do Alvinegro carioca, mas depois da saída de Dorival Júnior, no ano passado, Cuca já é o terceiro técnico que comanda o Peixe em menos de um ano. Levir Culpi assumiu após Dorival deixar o cargo e não chegou a terminar o ano a frente do time, que contou com Elano, como interino para fechar o ano.

Após uma boa temporada no comando do Botafogo, o Santos conseguiu levar Jair Ventura à baixada e o casamento resistiu por sete meses. Com o insucesso no Campeonato Paulista, caindo para o Palmeiras na semifinal, uma classificação às oitavas de final da Libertadores liderando seu grupo, a campanha abaixo no Brasileiro, com o time atuando ruim dentro e fora de casa, fez o clube não bancar Jair e voltar ao mercado por um novo treinador.

Depois de apostar na nova geração, o Santos volta a ter um treinador mais experiente e tenta salvar a temporada e evitar que seja necessário uma nova troca antes do fim do ano.

Fonte: Gazeta Esportiva