Em delicada situação financeira, o Botafogo vê no Nilton Santos (Engenhão) uma ferramenta para fazer dinheiro. Uma das possibilidades é abrir as portas do estádio para que outros times possam mandar seus jogos no local pagando aluguel. Foi justamente o que aconteceu no último fim de semana.

Sem poder contar com o Maracanã, o Fluminense resolveu mandar o jogo contra o Grêmio no Nilton Santos. O aluguel custou 125 mil aos cofres do Tricolor, que acabou derrotado pelos gaúchos em noite pouco inspirada.

Na preliminar do jogo do Fluminense, o América venceu o Americano e conquistou o título da Série B1, a segunda divisão do Carioca – as duas equipes jogarão a seletiva 2019. Apesar de usar o Nilton Santos, o time não pagou nenhum valor ao Botafogo.

Isso se deve porque o América não teria condições de pagar o preço do aluguel para jogar no estádio. Dessa forma, se aproveitou da boa relação com Fluminense e Botafogo e pediu para fazer a preliminar, sem custos. A operação do estádio foi paga pelo Tricolor, que jogou o evento principal.

O problema é que com isso três jogos foram disputados em menos de 30h no Nilton Santos já que o Botafogo encarou o São Paulo no domingo. O dono da casa, portanto, foi o último a entrar em campo e encontrou um gramado em condições ruins.

“Infelizmente nosso gramado não apresenta condições ideais, isso atrapalha, atrapalhou o São Paulo também. Vamos torcer para que a empresa que cuida do nosso gramado tenha tempo para melhorar”, lamentou o técnico Zé Ricardo.

Segundo apuração do UOL Esporte, o Botafogo entende que alugar o Nilton Santos é uma alternativa importante para ajudar as finanças. Porém, o clube entendeu que houve equívoco ao agendar tantos jogos seguidos em pouco espaço de tempo. O Alvinegro, porém, vê a situação como atípica e acredita que isso não voltará a ocorrer.

O Nilton Santos volta a receber uma partida nesta quarta-feira, quando o Botafogo encara o Bahia no jogo de volta das oitavas de final da Copa Sul-Americana. Na partida de ida, em Salvador, o Tricolor venceu por 2 a 1.

Fonte: UOL