Sem entrar em campo desde 12 de maio, o goleiro Jefferson terá de ser um pouco mais paciente. A previsão do Botafogo é que o jogador só estará apto para retornar ao time em maio do próximo ano já após a estreia do clube na Libertadores.

O retorno coincidirá com o “aniversário” de um anoda lesão no tríceps do braço esquerdo, quando se aquecia para o segundo tempo do confronto com Juazeirense, em Juazeiro do Norte, pela Copa do Brasil. Desde então fez duas cirurgias.

Ainda em maio Jefferson operou o local com previsão de retorno em três meses. Mas em agosto o goleiro voltou a reclamar de dores. Fez exames e, apesar de não desejar, teve de recorrer a uma cirurgia de revisão no tendão do trícpets, que não havia cicatrizado. O procedimento, que durou três horas, ocorreu em em 24 de novembro.

“Jefferson volta em cinco meses, se Deus quiser. Chega de operação”, disse Marcio Santos Padilha, vice-presidente de comunicação do Botafogo para a reportagem.

Sem o ídolo para a Libertadores e também sem Sidão, o reserva de Jefferson, que acertou a ida para o São Paulo, o Botafogo terá que recorrer a Gatito Fernádenz, Helton ou Saulo.

O mais provável é que Gatito Fernández seja o titular. Contratado neste fim de temporada, o goleiro fez 49 jogos pelo Figueirense em 2016 e tem experiência. Helton, 26, e Saulo, 21, tem pouca experiência e não fizeram nenhuma partida neste ano.

O primeiro está há três anos no clube de General Severiano. O segundo foi revelado na equipe e promovido ao elenco profissional no ano passado.

Jefferson disputou 19 jogos na temporada até se lesionar. Sidão, que foi emprestado pelo Audax, fez 35 e acabou agradando. A ideia do Botafogo era continuar com ele, já tinha um acerto com o clube paulista, mas acabou pesando a escolha do jogador.

O Botafogo estreia na próxima no dia 1º de fevereiro contra o Madureira pelo Campeonato Carioca. A Libertadores também iniciará em fevereiro.

Fonte: ESPN.com.br