Crítico da pressa pelo retorno do futebol em meio aos números crescentes de casos e vítimas do novo coronavírus, o técnico Paulo Autuori ressaltou o cuidado que o Botafogo vem tendo com jovens atletas estrangeiros que ficaram no Brasil nesse período.

De acordo com Autuori, a assistente social Maristela Eleutério tem feito um acompanhamento essencial do peruano Lecaros e do equatoriano “Loco” Cortez.

– Atletas como eles estão vivendo dificuldades por estarem longe da família, não podemos deixá-los de lado. O Botafogo está fazendo um trabalho muito bonito com a Maristela, nossa assistente social, que está dando muito apoio. O mundo do futebol é cruel: traz o jogador, tem que jogar, produzir desde o primeiro dia, caso contrário descarta com uma facilidade enorme – criticou Autuori, em entrevista coletiva online na Botafogo TV.

Autuori elogiou o peruano Lecaros, personagem principal da pergunta, que ainda não estreou oficialmente pelo Botafogo.

– É um jogador novo, com qualidades técnicas, ousado, que tem característica como o drible, o mano-a-mano. É um jovem e como tal nós devemos entender – disse o treinador alvinegro.

Fonte: Redação FogãoNET