Campeão do Sul-Americano Sub-21 com a Seleção Brasileira, Léo Figueiró está de volta ao Botafogo. O treinador teve sucesso absoluto no torneio que aconteceu na Colômbia, conquistou um importante título e reforçou a excelente fase. Prestes a iniciar a segunda temporada no comando do Glorioso, Léo comentou sobre os últimos feitos, referências, a importância da comissão técnica em todas as conquistas e as expectativas.

CONVITE

– Tive contato antes com a CBB (Confederação Brasileira de Basketball). O Marcelo me chamou para uma conversa, explicou a ideia e o desafio que estaria por vir. Prontamente aceitei, a diretoria da CBB não tem medido esforços para reerguer o basquete brasileiro, então recebi o convite com muita honra e topei. Acredito que os resultados em Caxias e, principalmente, no Botafogo ano passado tenham pesado bastante para eu receber esse convite. Outro ponto importante foi eu ter trabalhado com boa parte dessa geração e já ter conhecimento sobre alguns atletas que estavam nos planos da Seleção.

CAMPANHA NO SUL-AMERICANO

– Escolhemos os jogadores a dedo, pensando dentro do que seria feito com as semanas que tínhamos pela frente. Foi um grupo maravilhoso, que comprou a ideia, entendeu rápido a nossa proposta, deu o seu melhor o tempo inteiro e alcançou um grande resultado. Parte fundamental disso foi a comissão técnica que tive na Seleção Brasileira. O Vitta como preparador físico, com experiência em três Olimpíadas, o Silvado como fisioterapeuta, um cara extremamente profissional que deixou todos em plenas condições, e o Fernando Pereira, asistente, que fez um trabalho de edição fundamental para eu tomar as decisões.

ASCENSÃO 

– Tive uma progressão muito rápida e isso é inegável. Sempre trabalhei forte, acreditei nos meus sonhos, coloquei metas na minha carreira como a própria Seleção Brasileira, mas tudo aconteceu surpreendentemente rápido no último ano. Fiz minha estreia já conquistando o troféu de melhor técnico do NBB, alcançando a semifinal do torneio e recebendo proposta da Seleção Brasileira Sub-21. Mas ainda tenho muito a evoluir, as metas ficam maiores, os desafios, a cobrança, tudo te leva a querer mais e você tem que acompanhar.

IMPORTÂNCIA DA CT NO BOTAFOGO

– Ninguém faz nada sozinho e aqui no Botafogo não é diferente. As coisas só acontecem quando todos trabalham em sintonia. Eu realmente sou privilegiado por ter ao meu lado uma comissão técnica forte, trabalhadora, fiel e competente. Isso me ajuda demais!  Quando eu aceitei vir para o Botafogo, sabia da importância de estar cercado por pessoas competentes e fiéis. Não a toa, o Jece ficou aqui tocando uma semana de treinamentos com os outros integrantes da nossa equipe. Ele é um cara extremamente competente, que trabalha em conjunto o tempo inteiro e participa de todas as minhas decisões. Tenho certeza que foi uma semana bem produtiva, onde todos se comprometeram 100%.

REFERÊNCIAS

– A clínica do San Antonio Spurs foi um diferencial na minha vida. O Dedé Barbosa, hoje técnico do Pato Basquete, tinha recebido o convite, o estendeu pra mim e sou muito grato por isso. Lá eu vi o basquete de maneira diferente, percebi que o Popovich realmente é uma referência não só na parte tática, mas também na gestão de pessoas, que é um fator muito importante nos Spurs. A gente sempre pega um pouco das pessoas que passaram em nossas vidas, como o Emanuel Bonfim, o Dedé Barbosa, o Chuí e o Rodrigo Barbosa. Também me foco nos que são referências mundiais, como o Pablo Laso, técnico do Real Madrid. Fui na clínica da Euroliga em junho e pude ver o nível de profissionalismo que existe lá, algo que realmente os coloca entre os melhores. Tento adaptar de tudo um pouco para a nossa realidade.

ESTADUAL

– Torneio curto, diferente, com poucos times e muita rivalidade. Todos em início de projeto, fora da condição ideal, mas querendo ganhar. Entramos com mais chances do que no ano passado, temos uma base entrosada e o caminho para chegar ao nosso jogo ideal está mais curto. Vamos usar o bom senso nas escalações, sentir o momento de cada um e botar sempre o que tiver de melhor para aquela hora. Sem forçar ninguém, evitando lesões e buscando o êxito sem queimar etapas.

O QUE ESPERAR DO BOTAFOGO NA TEMPORADA

– Uma equipe muito competitiva, que se entrega, atletas que honram a camisa e lutam sempre até o estouro do cronômetro. Fizemos isso ano passado e agora não vai ser diferente. Agora somos uma equipe mais robusta, com mais jogadores e a expectativa é de alcançar resultados melhores.

O QUE ESPERAR DO LÉO 

– O mesmo Léo que se entrega, vibra com os atletas, trabalha muito e está sempre buscando algo a mais. Tenho certeza que as conquistas da última temporada estão servindo de combustível para eu ficar ainda mais motivado. Com tudo que aconteceu, todas as melhoras que conseguimos diante do esforço do Alexandre Brito (Vice-Presidente de Esportes Gerais) e do Gláucio (Diretor de Esportes Gerais), a motivação para fazer história no Botafogo só aumentou.

O Botafogo estreia no Campeonato Estadual de Basquete no dia 2 de setembro, fora de casa, contra o Niterói.

Fonte: Site oficial do Botafogo