Querendo o triunfo para voltar a subir no NBB, o Botafogo recebe o Franca neste sábado, às 14h, em General Severiano. A novidade será a volta de Henrique Coelho, capitão da equipe, que fez apenas o primeiro jogo do torneio e teve que passar por cirurgia.

O armador teve papel fundamental no vice-campeonato carioca e sofreu a lesão no peitoral maior logo na estreia do NBB, contra o Joinville. Submetido a cirurgia, Coelho tratou com profissionais do Alvinegro, recebeu apoio da torcida e de jogadores, viu seu time crescer na competição e voltou a participar do dia a dia do elenco em novembro. À disposição do técnico Léo para o duelo contra seu ex-time, o capitão falou sobre o retorno, exaltou a força de superação do Alvinegro e projetou um segundo turno de evolução.

RETORNO

– Muito feliz, motivado e tranquilo. Estou completando três meses de cirurgia, a preparação foi intensa e me sinto bem, totalmente preparado para voltar a jogar. Claro que não estarei no meu ritmo ideal, mas vou adquirindo aos poucos e procurando fazer o simples para ajudar o Botafogo da melhor forma.

RECUPERAÇÃO

– A equipe multidisciplinar do Botafogo foi sensacional. O trabalho aconteceu em conjunto e agregou o Marcos, fisioterapeuta, Pedro, preparador físico, o acompanhamento do André, médico, e a operação feita pelo Andreoli, em São Paulo. Todos estiveram à disposição quando precisei, só tenho a agradecer porque foi bem rápido e seguro. Dois dias depois da lesão, eu já estava na sala de cirurgia. A comunicação entre a equipe fluiu de forma perfeita e todos foram muito úteis na minha recuperação. Só tenho a agradecer aos profissionais que me colocaram em quadra novamente.

PSICOLÓGICO

–  Estava me preparando para a melhor temporada da minha vida e acabei esbarrando numa lesão séria, que necessitaria de processo cirúrgico e um bom tempo afastado. Assimilar o choque foi difícil, os dias que antecederam o resultado do exame mexeram comigo, mas recebi muito apoio dos torcedores, amigos e jogadores que já passaram por problemas semelhantes. Depois, procurei ficar tranquilo e entendi que teria tempo para voltar a jogar basquete. Voltei a acompanhar treinos, jogos, viagens, reuniões e ajudar o Botafogo de alguma forma. Eu não queria me sentir fora da equipe! Os jogadores foram muito receptivos, me passaram ainda mais confiança e me deixaram à vontade para opinar no que fosse preciso e ajuda-los.

NBB

– O poder de superação desse time é incrível. Mesmo com a minha lesão grave e ausências pontuais, como a do Cauê, o time continuou jogando dentro do sistema, fazendo o que era pra ser feito e surpreendendo muita gente. Nossas vitórias provaram que o Botafogo não é de um ou de outro jogador, e sim que o coletivo forte é a nossa principal arma. No segundo turno, teremos mais jogadores para o Léo trabalhar, o campeonato vai ficar mais difícil, mas vamos fazer de tudo para subir ainda mais na tabela e alcançar uma posição melhor.

Os ingressos para Botafogo e Franca começam a ser vendidos nesta sexta-feira, na Loja Oficial da sede alvinegra.

Fonte: Site oficial do Botafogo