Uma equipe de operários do basquete entrará em quadra neste domingo pelo Botafogo contra o Blumenau, às 10h30m, no ginásio de General Severiano — com entrada gratuita para quem for vestido com a camisa do clube. É a a primeira partida em casa pela Liga Ouro, o degrau de acesso à elite do basquete no país. O time tenta o título da competição, que vale uma vaga no NBB.

Com limitações financeiras, o treino da última terça-feira foi comandado pelo treinador Márcio de Andrade e um único assistente, o que os deixa quilômetros de distância da paparicação recebida pelos colegas do futebol. Para praticar arremessos, atletas se revezam entre buscar bolas e “chutar”. Contam também com a ajuda de Enzo, de 8 anos, filho do ala-armador Arnaldinho. O pai divide a liderança do time com o armador americano Jamaal Smith. Nos quatro primeiros jogos da Liga Ouro, todos fora de casa, com três vitórias, eles marcaram, respectivamente, 14 e 15,25 pontos por jogo.

Aos 38 anos, Arnaldinho é um velho conhecido do alvinegro. Com 7 anos, pulava o muro do Mourisco para jogar. Com 19, ao lado de Marcelinho Machado, três anos mais velho, comandou um time que a partir de 1999 desafiou Vasco e Flamengo em época de grande investimento. Chegou a ter a melhor campanha no Brasileiro de 2001, mas derrapou na semifinal. Após o ápice, o time comandado por Emmanuel Bonfim e que teve Léo, Diego, Fred, Marcelão, Macetão, Maozão e Alexey foi extinto sem um título, mesmo do Carioca.

— Éramos os Leões Indomáveis — recordou. — Muita gente fala daquele time até hoje. Sofremos com salários atrasado e um momento ruim do futebol, que refletiu em outros esportes financeiramente e também em cobrança.

O fim daquele time não foi digerido por Arnaldinho, que cita a história do clube para pedir atenção ao basquete. Em 1942, a súbita morte em quadra de um jogador interrompeu o confronto entre o Clube de Regatas Botafogo e o Botafogo Futebol Clube. A tragédia selou a fusão do Botafogo Futebol e Regatas. Há dois anos, o veterano voltou ao clube com um missão em mente.

— O objetivo é ser campeão para entrar no NBB. É um retorno importante para o Botafogo, que ficou muito tempo jogando campeonatos sem expressão. Para um clube com história ligada ao basquete, isso não pode acontecer— palpitou. — Queremos resgatar o Botafogo de verdade, aquele que eu vivi.

Ele seguiu sua carreira, passou por Itália, França, Chipre e Venezuela e impactou no basquete brasileiro, mas a contragosto. Em 2006, contratado pelo Rio de Janeiro, o ala-armador foi o pivô de uma disputa jurídica que interrompeu o Brasileiro, que não teve fim. O Nacional ainda foi disputado nos dois anos seguintes até a realização, em 2009, do primeira NBB.

— Fui só um parafuso na engrenagem. Estava na liga criada pelo Oscar (NLB)e joguei no hexagonal do Brasileiro com uma liminar. Não fui eu que busquei a liminar, era só um atleta. Por um lado foi bom, dali surgiria o NBB, mas pessoalmente foi horrível. Fiquei sem time, fui massacrado, levei calote, perdi um apartamento ali — lamentou.

Encantado com Mané

Uma semana antes da Liga Ouro, que reúne seis times que se enfrentam em 20 rodadas antes da semifinal e final, o Botafogo recebeu Jamaal, de 32 anos, que tem na bagagem a disputa de três edições do NBB. Em Macaé, onde foi ídolo da torcida, ele ajudou em 2013 o time a conseguir uma vaga no NBB:

— Não foi fácil no Macaé. O time do Botafogo é forte, mas não pode ficar tranquilo. Precisamos ficar juntos porque todo mundo quer ir para o NBB.

Filho de um ex-jogador da NBA, Robert Smith, que atuou na liga americano nos anos 70 e 80 e teve o auge da sua carreira na França, o americano levou um susto quando entrou em General Severiano e encontrou a foto de um tal Mané.

— Um dia, eu estava em casa, em Las Vegas, e meu irmão perguntou se eu conhecia aquele cara. Eu disse que não e ele me mostrou o filme de um jogador com problemas no joelho que fazia coisas que ninguém acreditava. Eu assisti e adorei o cara. Quando cheguei aqui, vi a foto dele. Liguei para o meu irmão e falei: “Cara, você não vai acreditar, ele jogou aqui no Botafogo”.

Fonte: Extra Online