O Botafogo de René Simões adiantou a marcação para sufocar a saída dos seis chineses da retaguarda do Chandong Luneng de Cuca para evitar que a bola chegasse aos cinco sul-americanos no ataque. Ou desarmasse mais perto da meta adversária, como na bola roubada que terminou em conclusão de Bill, a mais perigosa da equipe no primeiro tempo.

Olho Tático

Flagrante de 20 jogadores em cerca de 30 metros no campo de defesa do Shandong - Botafogo pressionou a marcação em vários momentos do jogo.
Flagrante de 20 jogadores em cerca de 30 metros no campo de defesa do Shandong – Botafogo avançou e pressionou a marcação em vários momentos do jogo.

No Engenhão, o time brasileiro tentou propor o jogo. Pelo scout do treinador, trocou 471 passes e finalizou 20 vezes. Taticamente, cometeu um erro do primeiro tempo: na execução do 4-2-3-1, Rodrigo Pimpão iniciou pela esquerda e entrava em diagonal para se juntar a Bill. Com isso, abria o corredor para Tiago Carleto, que não descia pela presença de Aloísio no setor. Mesmo (bem) acima do peso, o “Boi Bandido” deu trabalho. Mas foi Júnior Urso quem chutou na trave infiltrando pela direita contra Carleto.

René corrigiu na segunda etapa invertendo o lado de Pimpão e Gegê fez companhia a Carleto, que acertou o travessão em bela cobrança de falta. O Botafogo controlou de vez o jogo, facilitando a saída de bola com os zagueiros Roger Carvalho e Renan Fonseca e Marcelo Mattos entre eles. Acelerando pela direita com Gilberto e Pimpão voando para cima de Zheng Zheng, que não tinha o auxílio de Vagner Love. Trocou passes com Willian Arão e Diego Jardel no meio-campo, empilhou chances.

Olho Tático

Botafogo no 4-2-3-1 que ocupou o campo de ataque, trocou passes e movimentou o quarteto ofensivo, mas faltou qualidade nas jogadas decisivas.
Botafogo no 4-2-3-1 que ocupou o campo de ataque, trocou passes e movimentou o quarteto ofensivo, mas faltou qualidade nas jogadas decisivas.

Mas faltou qualidade. Nas finalizações pífias de Diego Jardel e Jobson, que entrou no segundo tempo. Como disse René na coletiva pós-jogo, o time não “qualificou” alguns passes importantes, que poderiam ter virado assistências. O desentrosamento foi apenas mais um complicador.

Porque Diego Tardelli, em sua estreia no time chinês, foi decisivo arrancando desde a intermediária e servindo Yong Po, que acabara de entrar na vaga de Love. Talento único, gol solitário do jogo que, como quase todo amistoso, perdeu ritmo com as muitas substituições, que até demoraram a acontecer.

O técnico do Bota sabe o que espera e aguarda Tomás e Pimentinha. Quem sabe uma contratação mais “pesada” para dividir responsabilidades com Jefferson. Fazer diferença. Porque a proposta de jogo coletivo é boa, moderna. Mas, ao menos por enquanto, não encontra respaldo nas peças em campo.

Fonte: Blog Olho Tático - ESPN.com.br