O Vasco saiu na frente nos primeiros 90 minutos da disputa de 180 que decide o Estadual do Rio de Janeiro.

Mas sofre de tal maneira para bater os adversários que suas falhas chamam mais atenção do que suas virtudes.

O time de Zé Ricardo venceu outro clássico por 3 a 2, de novo com gol nos acréscimos…

Porém, quem viu o jogo com frieza percebeu que a vantagem mínima é nada para o ousado Botafogo de Alberto Valentim, em evolução a passos largos…

NÃO QUERO dizer que os alvinegros são melhores _ longe disso.

Ou até mesmo assegurar que o Botafogo está em situação tranquila para os 90 minutos finais, domingo que vem, agora no Maracanã.

Não, não está.

No entanto, é preciso reconhecer e até enaltecer a reconstrução do time com tão pouco tempo.

E sem um orçamento que lhe dê condições de trazer nomes consagrados.

Ainda assim, Renatinho, Luiz Fernando, Moisés e Kieza alteraram o ritmo ofensivo, e a competitividade já é outra.

O VASCO venceu o jogo no Estádio Nílton Santos porque seu time tem mais a cara de Zé Ricardo do que o Botafogo tem em relação a seu técnico.

É autoconfiante, trabalha a bola mais e melhor, talvez até com injustificável soberba, e é ofensivamente eficiente.

Fez três ou mais gols em nove dos 19 jogos disputados este ano e isso não é pouco.

Em contrapartida, tem falhas normais a qualquer time que precise refazer a defesa na reta final de um campeonato.

A LINHA de quatro, agora com Rafael Galhardo e Fabrício nas laterais, não tem recursos técnicos.

E ainda sofre com os “apagões” da dupla Paulão e Erazo.

Fraqueza competitiva que deixa em aberto a disputa do título.

Neste jogo, tivesse o Botafogo um meia mais vertical para tabelar com Renatinho por entre volantes e zagueiros vascaínos, o duelo talvez já estivesse decidido.

Só que com Leo Valência pelo lado, o time cruzou 20 bolas na área e fez 39 tentativas de bolas longas.

Faltou jogo combinado, ações individuais _ em resumo: ousadia.

Neste ponto, o Vasco de Yago Pikachu, Riascos e Paulinho tem mais futebol.

FOI MAIS um bom jogo e o sétimo clássico seguido no Rio em duas semanas, com 25 gols marcados _ quase quatro por jogo.

O Botafogo, que esteve em cinco deles, descansa no meio de semana.

Vasco volta a jogar pela Libertadores, contra o Cruzeiro, nesta quarta-feira.

Quem sabe, com a autoestima elevada, o time não consegue surpreender?

Fonte: Blog do Gilmar Ferreira - Extra Online