Embalado pelas vitórias nas últimas três rodadas, o Botafogo tem, no domingo, contra o Goiás, no Serra Dourada, mais uma chance de melhorar o retrospecto fora do Rio no Campeonato Brasileiro. Em 2018, por exemplo, o Alvinegro só venceu dois jogos em outros estados.

Ano passado, o primeiro triunfo longe do Rio veio apenas na 26ª rodada, no dia 23 de setembro: 4 a 3 no Vitória, em Salvador. Praticamente dois meses depois, no dia 15 de novembro, o Botafogo derrotou a Chapecoense, por 1 a 0, na Arena Condá.

Ainda em 2018, após o triunfo em Santa Catarina, os então comandados por Zé Ricardo somaram apenas um ponto nas últimas duas partidas como visitantes: 1 a 1 com o Santos e 1 a 0 para o Atlético-MG.

Na atual campanha, a equipe de Eduardo Barroca estreou perdendo para o São Paulo, no Morumbi, por 2 a 0. Depois, venceu duas no Nilton Santos (3 a 2 no Bahia e 1 a 0 no Fortaleza) e o clássico diante do Fluminense, no Maracanã.

Artilheiro do Botafogo em 2019, Erik já marcou oito vezes desde janeiro. E ele é um dos trunfos de Barroca para vencer no Serra Dourada. Além de gols, o atacante está em alta entre o treinador e companheiros de equipe pela coletividade nos jogos e personalidade fora deles.

— É um cara muito especial, prestativo dentro de campo, e fora é alegre, solidário, que se coloca à disposição de todos. O estilo de jogo do Barroca não favorece apenas ele, mas a todo o elenco — elogiou o lateral-direito Fernando.

Sobre a concorrência com Marcinho, o jogador diz ser muito saudável:

— Nossa relação é boa. No futebol não existe titularidade absoluta. Barroca diz que todos têm oportunidade.

Diego Souza, Fernando e Saulo são inscritos

Após o confronto de domingo, o Botafogo voltará suas atenções à Copa Sul-Americana. Na quarta-feira, o Alvinegro vai ao Paraguai enfrentar o Sol de América, no jogo de ida da segunda fase.

Ontem, o clube fez alteração na lista inicial e inscreveu três jogadores: o atacante Diego Souza, o lateral-direito Fernando e o goleiro Saulo. Eles entram nas vagas do meia Marcos Vinícius e os atacantes Leandro Carvalho e Kieza, respectivamente.

Aos 20 anos e revelado na base de General Severiano, Fernando é um dos caçulas do elenco. E se mostra feliz por conviver com jogadores mais rodados.

— Na primeira vez deu até vergonha. São caras que eu via na televisão e sonhava estar com eles. Agora dividimos vestiário. Isso é legal, são jogadores experientes — disse.

Emprestado no início do ano ao Lille, da França, o lateral-direito diz estar pronto para ajudar Barroca após o desafio na Europa.

— Foi importante para o meu amadurecimento e minha evolução — salientou.

Fonte: O Globo Online