Após ser rebaixado e ver sua imagem arranhada, o Botafogo luta para remontar sua abalada tradição. E a vitória sobre o Boavista na estreia do Campeonato Carioca tem papel importantíssimo para a autoestima da torcida. Para se ter uma ideia, o gol marcado por Roger Carvalho no fim do segundo tempo serviu para quebrar ao menos dois tabus que incomodavam o Alvinegro.

Com o péssimo desempenho no último Campeonato Brasileiro, o Botafogo estava a oito jogos sem vencer. Pior, não marcava um gol sequer a 800 minutos. Tudo isso ficou no passado após a cabeçada de Roger Carvalho. Passado esse que o Alvinegro faz questão de esquecer.

“O gol foi importante para que os jogadores acreditem no trabalho que tem sido feito. Não entendi o nosso primeiro tempo.Tentando ligação direta, algo que não treinei. Perguntei para os jogadores de onde eles tinham tirado isso. Confiaram em mim e voltamos a fazer o que treinamos. Fomos outro time no segundo tempo”, disse René Simões.

Com o treinador, o Botafogo tem uma vocação ofensiva. Essa tem sido uma das principais preocupações de René Simões nos treinamentos. Muita movimentação com jogadores de meio-campo e ataque. Essa é uma tendência que o comandante não abre mão e foi vista na estreia do Alvinegro no último sábado.

A explicação é simples. O Botafogo quer agradar a torcida com um time competitivo, mas que tenha compromisso com um bom futebol. Após o sofrimento e tudo o que foi visto em 2014, essa postura tem tudo para agradar os torcedores, que deram provas de que jogarão junto com a equipe. O apoio já ocorreu durante os 90min e arrancou elogios dos atletas.

Após a vitória sobre o Boavista, o Botafogo volta a campo na próxima quarta-feira, quando medirá forças com o Volta Rendonda, no estádio Raulino de Oliveira. Para este duelo, o Alvinegro tenta inscrever Tomas e Pimentinha – o segundo tem menos chances do que o primeiro de entrar em campo já que será integrado ao elenco nesta segunda-feira.

Fonte: UOL