Se hoje o Botafogo tem Honda e sonha com Yaya Touré, Obi Mikel e até mesmo Robben, não faz muito tempo o clube teve em seu elenco um astro do futebol mundial: Clarence Seedorf, craque da Holanda e que estava no Milan. Foi sem dúvida a maior contratação do futebol brasileiro na época, mas o Glorioso tentou outros grandes nomes até fechar com o holandês em 2012.

Máscaras do FogãoNET para torcedores do FogãoNET durante a quarentena da pandemia do novo coronavírus (COVID-19)

Em entrevista ao AM Canal, do jornalista André Marques, o presidente do Botafogo na época, Mauricio Assumpção, revelou que tentou, junto ao então vice-presidente de futebol André Silva, as contratações, nesta ordem, de Deco (que foi para o Fluminense), Diego (meia do Wolfsburg na época e atualmente no Flamengo) e Ronaldinho Gaúcho (que por aqui atuou por Flamengo, Fluminense e Atlético-MG entre 2011 e 2015), além de um astro que teve seu nome mantido sob sigilo.

– Eu e o André Silva sempre quisemos contratar um grande camisa 10. Nossa primeira tentativa foi o Deco, mas o Fluminense foi mais feliz do que a gente nas tratativas. Depois, com o Capita (Carlos Alberto Torres), fizemos uma investida num jogador que era um astro do futebol internacional, mas que também não deu certo e que eu prefiro não revelar o nome. Depois fizemos uma investida no Diego, fui pessoalmente à Alemanha, mas na época o salário era totalmente fora da nossa realidade. Nosso nível de conversa foi elevadíssimo, o Diego é um cara especial para se tratar, dialogar, iria fazer uma diferença bem importante. Depois tentamos o Ronaldinho Gaúcho, as tratativas foram com Assis. Por último, o Seedorf, através do Serginho, que foi lateral do São Paulo e do Milan e quem fez o meio-de-campo com alguns empresários aqui no Brasil – contou Assumpção.

Loja do FogãoNET por Estilo Piti | O Site oficial do torcedor do Botafogo | Cupom de 10% de desconto

Longa espera até o “sim”

Mauricio Assumpção revelou que teve de aguardar longos meses pelo “sim” de Seedorf. O holandês atuou pelo Botafogo entre 2012 e 2013, fez 24 gols em 81 jogos e depois encerrou a carreira para se tornar técnico do Milan.

– Eu e André viajamos para a Itália para nos reunirmos com o Seedorf. A Debora (Martin), representante dele, perguntou se a gente se importava em aguardar mais um ano. Mantive a guarda alta, falei que a gente queria a qualquer momento. Queríamos ali porque montamos um elenco para ser campeão, para ir para a Libertadores, mas aguardamos. Ele renovou mais um ano com o Milan e, ao final do ano, ele abriu negociação novamente conosco – recordou o ex-presidente, contando um causo com o então presidente do Atlético-MG, Alexandre Kalil:

– Estávamos em final de negociação. Eu estava na Alemanha, a Globo tinha levado os presidentes dos clubes para assistir à final da Champions League. O Kalil comentou comigo: “Vocês estão negociando com o Seedorf?” Eu desconversei. Quando anunciamos, o Kalil foi o primeiro presidente que me ligou, ficou brincando comigo. Falei com ele: “Se eu te falasse, você não iria atravessar (a negociação), iria atropelar!”.

Assista ao vídeo da entrevista com o ex-presidente Mauricio Assumpção:

Fonte: Redação FogãoNET e AM Canal