Desde hoje (27), o futebol brasileiro apresenta pequenas alterações nas regras, impostas pela International Board para a próxima temporada europeia. Entre as mudanças, as equipes precisam se acostumar a respeitar uma distância de 1m da barreira rival em faltas marcadas pela arbitragem; situação imposta para evitar o antigo empurra-empurra. Logo na abertura do Brasileirão, o Botafogo apresentou uma solução, no mínimo, criativa.

Em lance ocorrido no primeiro tempo da partida contra o São Paulo, no estádio do Morumbi, um grupo de jogadores botafoguenses posicionou uma própria barreira na frente da armada pelo são-paulino Tiago Volpi, respeitando a distância escrita no regulamento.

O objetivo dos atletas cariocas, provavelmente, era tentar atrapalhar ao máximo a visão do goleiro do time da casa.

A distância dos jogadores em relação à barreira é apenas uma de muitas mudanças implantadas no Brasileirão deste ano. As mais drásticas correspondem à anulação de qualquer jogada de gol que contar com o toque de mão do ataque – inclusive, os involuntários – e a promoção de uma “bola ao chão” sempre que a bola bater no árbitro.

Desde hoje, os goleiros podem manter apenas um pé na linha de fundo na hora do pênalti e também tocar para um companheiro dentro da área quando cobrarem um tiro de meta – a bola necessariamente precisava sair da grande-área na regra antiga.

Há também uma alteração disciplinar, já que a arbitragem tem a recomendação de aplicar cartões amarelos e vermelhos para advertir técnicos e membros das comissões técnicas das equipes do Campeonato Brasileiro.

Dentro de campo no primeiro duelo pela Série A de 2019, o São Paulo levou a melhor sobre o Botafogo e venceu por 2 a 0, gols de Everton e Hudson.

Fonte: UOL