Publicados, no final de abril, os balanços referentes ao ano de 2018, já é possível atualizar o quão pendurados, ou não, estão os clubes da primeira divisão do futebol brasileiro. É o “Ranking das Dívidas Líquidas”, elaborado por Cesar Grafietti, que é economista e consultor de gestão e finanças do esporte, ex-executivo do Itaú BBA.

Nele estão incluídos bancos, terceiros, coligadas, clubes, fornecedores e impostos renegociados (Programa de Modernização da Gestão de Responsabilidade Fiscal do Futebol Brasileiro, Profut; Programa Especial de Regularização Tributária, PERT; e Ato Trabalhista, por exemplo). “Tiramos da dívida o que o clube tem no caixa”, explica o especialista.

O cálculo ignora itens que têm características de meros registros contábeis, ou cujo pagamento não se dá com dinheiro. Mas com desempenho, como adiantamentos e publicidade (a verba entrou e a agremiação pagará usando a marca na camisa), contratos de TV (os clubes registram os contratos de longo prazo no passivo, como uma obrigação, que será cumprida adiante, com a transmissão dos jogos).

“Usamos o conceito de Dívida Líquida no mercado financeiro para mostrar o que efetivamente deve o clube. O ‘líquido’ significa pegar a dívida e subtrair o valor que o clube tem na conta-corrente. Fazemos assim pois é com esse dinheiro que o clube paga suas dívidas, então é mais preciso calcular dessa forma”, explica Grafietti. “Pense no torcedor. É o saldo que ele tem no banco, e que usará para pagar suas contas do mês”, acrescenta.

Vale ressaltar que a arena de Itaquera não aparece no balanço do Corinthians em função de um critério contábil baseado no desenho da estrutura societária do estádio. Não existe um valor oficial que indique quanto a obra já custa ao clube, mas as estimativas superam a casa de R$ 1 bilhão. Isso significa que, na prática, os corintianos têm a maior dívida entre os clubes do futebol nacional. Quarto do ranking, o Athletico tem quase toda sua dívida liquida oriunda do investimento feito na construção da Arena da Baixada.

Veja o ranking:

Dívida Líquida Total (em R$)*
Botafogo 657.041.000
Atlético 583.509.000
Santos 469.144.000
Athletico 461.032.000
Vasco 440.248.000
Palmeiras 437.394.000
Cruzeiro 437.232.000
Flamengo 418.704.000
Corinthians 402.355.000
Fluminense 389.670.000
São Paulo 361.128.000
Internacional 351.601.000
Grêmio 239.620.000
Bahia 144.292.000
Fortaleza 18.273.000
Chapecoense 11.549.000
Ceará 10.421.000
Goiás 5.906.000

Fonte: Blog do Mauro Cezar Pereira - UOL