O momento é delicado para o Botafogo. São quatro jogos sem vencer sendo três derrotas. Além disso, o time é um dos que menos finaliza no país, o que resulta em 360 minutos sem balançar as redes – ou quatro partidas. A situação está tão delicada que até mesmo quem chegou há pouco tempo teve que lidar com vaias no último duelo.

Contra o Atlético-MG, Diego Souza cansou de esperar a bola chegar e foi ao meio de campo. Assim que dominava uma surpresa nada agradável: vaias. O camisa 7 parecia até mesmo não ter entendido. Pegou novamente na bola para tirar a dúvida. E novos apupos vieram das arquibancadas.

“Tenho um grupo que está trabalhando, se dedicando, muito acomodado com essa situação. Vejo eles inconformados, receptivos às cobranças. Precisamos assumir as responsabilidades e nos preparar bem par ao clássico. É uma chance para reverter essa situação”, disse o técnico Eduardo Barroca.

“Nesse momento, os jogadores precisam ter no treinador confiança, tranquilidade para fazer o que fizeram em muitas partidas. É natural que sem os resultados o jogador se sinta inseguro. Da minha parte eles têm confiança para jogar com personalidade. Dessa forma que vamos conseguir buscar as vitórias. Cabe a mim dar estímulo, segurança e confiança”, completou o treinador do Botafogo.

Com a derrota, o Botafogo terá que vencer em Belo Horizonte para se classificar às quartas da Copa Sul-Americana. Caso o placar se repita, a vaga será definida nos pênaltis. Já o Galo pode até empatar no Independência, na próxima quarta-feira, que ficará com a vaga. No domingo, o Alvinegro encara o Flamengo, no Maracanã, pelo Campeonato Brasileiro.

Fonte: UOL