Um clube com 13 mil pagantes a mais do que o segundo colocado é quem mais faturou com bilheteria, correto? Não quando o campeonato em questão é o Brasileirão de 2018. O Flamengo fechou o torneio com 47.140 pagantes de média por partida, bem distante de São Paulo, Palmeiras e Corinthians. Mas o Rubro-Negro foi apenas o oitavo que mais ganhou dinheiro com a venda de ingressos.

Pior do que isso: o Palmeiras embolsou quase oito vezes mais do que o Flamengo com bilheteria. O campeão brasileiro levou para casa R$ 23,7 milhões após as 19 partidas como mandante, contra apenas R$ 3,3 milhões do Flamengo com o mesmo número de jogos em casa.

O mais incrível é que o Verdão teve praticamente 15 mil torcedores a menos como mandante no Brasileirão do que o Flamengo. No total, o time carioca contou com 280.876 pagantes a mais do que o paulista dentro de casa.

Então como explicar que, diante de tantos torcedores a mais, o Fla tenha ficado com R$ 20,4 milhões a menos? Há dois motivos: o preço médio dos ingressos e o enorme desconto nas rendas das partidas no Maracanã.

Enquanto o ticket médio no Allianz Parque foi de R$ 60,49, o do Maracanã para os jogos rubro-negros foi de R$ 28,30. Ainda assim, o Flamengo gerou R$ 25,3 milhões de receita bruta, praticamente empatado com o Corinthians e só atrás do Palmeiras, com R$ 37,1 milhões.

Porém, uma série de taxas fizeram o time de Eduardo Bandeira de Mello embolsar míseros 13% daquilo que se gera com os ingressos em cada partida. A Ferj (Federação do Estado do Rio de Janeiro), por exemplo, mordeu quase 5% da receita de cada jogo e acumulou pouco mais de R$ 1,2 milhão do Flamengo ao longo do Brasileirão.

O aluguel do Maracanã representou um desfalque ainda maior. No jogo contra o Palmeiras, cuja renda bruta foi de R$ 1,4 milhão (graças a 65.102 torcedores), o Fla teve de pagar quase R$ 218 mil ao consórcio que administra a arena, equivalente a 15% da bilheteria total. Na mesma partida, que terminou empatada em 1 a 1, o clube ainda desembolsou incríveis R$ 447 mil com custos operacionais e R$ 150 mil com contas de consumo.

RECEITA LÍQUIDA COM BILHETERIA NO BRASILEIRÃO-18:
1º Palmeiras: R$ 23,7 milhões
2º São Paulo: R$ 16,5 milhões
3º Corinthians: R$ 16 milhões
4º Grêmio: R$ 11,6 milhões
5º Internacional: R$ 11,1 milhões
6º Ceará: R$ 5 milhões
7º Atlético-MG: R$ 3,8 milhões
8º Flamengo: R$ 3,38 milhões
9º Chapecoense: R$ 3,37 milhões
10º Bahia: R$ 3,1 milhões
11º Cruzeiro: R$ 2,4 milhões
12º Paraná: R$ 2,3 milhões
13º Sport: R$ 2 milhões
14º Santos: R$ 1 milhão
15º Atlético-PR: R$ 940 mil
16º Vasco: R$ 921 mil
17º Vitória: R$ 518 mil
18º América-MG: -R$ 1 milhão
19º Fluminense: -R$ 3,2 milhões
20º Botafogo: -R$ 3,5 milhões

MÉDIA DE PÚBLICO NO BRASILEIRÃO-18:
1º Flamengo: 47.140 pagantes
2º São Paulo: 43.321
3º Palmeiras: 32.357
4º Corinthians: 31.367
5º Ceará: 28.079
6º Internacional: 28.022
7º Grêmio: 22.264
8º Bahia: 19.315
9º Atlético-MG: 17.229
10º Vasco: 14.881
11º Fluminense: 14.459
12º Cruzeiro: 13.521
13º Botafogo: 11.570
14º Sport: 11.428
15º Santos: 10.576
16º Atlético-PR: 10.570
17º Chapecoense: 9.392
18º Vitória: 9.182
19º Paraná: 6.223
20º América-MG: 4.898

Fonte: Blog do Jorge Nicola - Yahoo! Esportes