No jogo decisivo, a faixa estava no braço esquerdo de Joel Carli. Parecia até uma bênção destinada àquele que seria herói da conquista do Estadual diante do Vasco. Mas, como a foto do pódio alvinegro revela, o argentino não é o único responsável por liderar, dentro e fora de campo, o Botafogo no caminho do título do Carioca.

Não é segredo que o goleiro Jefferson, reserva, o meia João Paulo, gravemente lesionado, e o volante Rodrigo Lindoso, suspenso no jogo de volta da final, também assumem a função de capitanearem o grupo. E não é um mero discurso.

A coletiva pós-título, ainda no Maracanã, foi simbólica. Um exemplo claro de que as vaidades ficam de lado e o todos, de formas distintas, têm um papel a desempenhar no exercício da liderança.

O técnico Alberto Valentim não respondeu aos questionamentos, mas usou o espaço para se declarar ao elenco.

— Algumas coisas falei pra eles e fui o mais sincero possível. Que a gente precisava de todos os jogadores. Hoje jogaram jogadores que não tinha jogado ainda. Ou por lesão, ou escolha técnica. Falando em lesão, perdemos nosso capitão, um cara espetacular. Fizemos um pacto que o João faria esse sacrifício para estar aqui — disse o treinador, que abriu o caminho para o posicionamento de cada um dos capitães.

João Paulo, mesmo de muletas, participou da festa. Ele fraturou a perna após sofrer uma entrada de Rildo, do Vasco, na última rodada da Taça Rio, e está fora de atividade. Mas não distante do grupo.

— Só quero agradecer a todos vocês. Quem estava lá em cima, de fora, deu para ver sangue nos olhos do inicio ao fim. Muito orgulho de fazer parte desse time — comentou.

Em uma jornada heróica de Gatito, Jefferson também foi ovacionado pelo elenco. O canto no corredor do estádio foi aquela rima que casa com a frase “é o melhor goleiro do Brasil”.

— Quero agradecer pelo respeito que sempre tiveram por mim e pelo Botafogo. Botafogo é paixão e vocês demonstraram isso. Quero agradecer a vocês pelo título no meu último ano de carreira. Eu disse no começo do ano que gostaria de encerrar a minha carreira com título e vocês me proporcionaram isso — disse o goleiro, hoje reserva.

Carli, que deu conta do recado dentro de campo na final, valorizou a união do time:

— Quando está no caminho correto, o resultado chega. Muito difícil, mas merecemos comemorar o título.

Ainda houve espaço para o posicionamento de Lindoso, que tomou o terceiro amarelo no jogo de ida e entrou na seleção do Carioca:

— Conversamos há uns dias que esse grupo não tem vaidades e merece coisas grandes. Acho que poderia ser mais tranquilo, mas é Botafogo.

Fonte: O Globo Online