Camisa da Chapecoense, Camilo não esconde seu desejo de trocar o Verdão do Oeste pelo Botafogo em 2016. Se por um lado a vontade do meia é de vestir a camisa do Alvinegro, por outro o clube catarinense ainda precisa aceitar sua saída.

“Não depende só de mim, mas principalmente da Chapecoense também, então preciso acatar o que o clube achar melhor. Minha vontade é de jogar no Botafogo, vir para minha cidade. Desde pequeno sempre quis jogar em um grande clube do Rio, mas respeito da Chape”, declarou o atleta à Rádio Globo.

O que ainda barra a negociação é inflexibilidade do clube de Chapecó, que não quer abrir o jogador sem o pagamento da multa rescisória, estimada em R$ 2 milhões. Tal montante pode estar acima do que o Botafogo pretende gastar em um único jogador para a formação do elenco que disputará a Série A em 2016.

O presidente da Chape, Sandro Pallaoro, havia dito que, até o início desta semana, nenhuma proposta havia sido apresentada ao clube pela saída do jogador, e deu a entender que ele não deve ser liberado de graça.

A diretoria alvinegra, por outro lado, já teria até acertado bases salariais com seu possível futuro camisa 10, substituindo na função o experiente Daniel Carvalho, contratado pelo Goiás.

A posição do atleta pode ser explicada, além da vontade de atuar em sua cidade natal, pela gana de voltar ao circuito de clubes mais tradicionais do futebol brasileiro. Revelado pelo Marília, Camilo já defendeu equipes como Cruzeiro, América-MG, e Sport. Agora, aos 29 anos, pretende ter General Severiano como seu próximo destino.

Fonte: Footstats