Na noite da última quinta-feira, Carlos Eduardo Pereira, presidente do Botafogo de 2015 a 2018, anunciou em carta aberta o fim de seu vínculo com o grupo político Mais Botafogo. Contudo, o dirigente, que vai manter a atual função na diretoria, que é a de vice-presidente geral, explicou algumas divergências com os representantes do grupo, no qual pertence o presidente Nelson Mufarrej.

– Foi uma decisão normal, fruto de um acúmulo de coisas que foram acontecendo, após o término da minha gestão como presidente e, com algumas mudanças do Grupo, deixei de me sentir à vontade. A minha opção foi retomar o caminho independente na vida política no Botafogo, afinal, são quase 40 anos de vida política no clube. Mas, como fui eleito e escolhido como vice-presidente geral, não posso deixar de prestigiar os votos que recebi, nem deixar de participar do Conselho Deliberativo, como grande benemérito que sou e continuar ajudando o Botafogo em todos os momentos – contou CEP, em entrevista à Rádio Brasil, completando:

– Tenho muitos amigos no Grupo Mais Botafogo, começamos a caminhada em 2011, fizemos uma campanha que alertou para o quadro social, os rumos que o Botafogo tomava, por exemplo. Infelizmente, não tivemos sucesso completo, mas elegemos pela primeira vez sob o estatuto 14 conselheiros. De 2011 a 2014, continuamos o trabalho informativo, de cobrança em todos os âmbitos, o que culminou na nossa vitória sobre as demais chapas concorrentes. Fiz muitos amigos, basicamente me refiro a um grupo pequeno no Mais Botafogo. Não gostaria de expor esses amigos a algumas situações, são questões programáticas, de visão, de forma de trabalhar, do que desejar para o Botafogo, então é algo que deve ser tratado internamente. E eu tive a oportunidade de colocar isso paras as pessoas no momento certo.

– O Nelson (Mufarrej) é uma pessoa extremamente cordial, a qual me dou muito bem. Seguirei exercendo meu cargo de vice-presidente e ajudando em tudo que estiver ao meu alcance, e continuarei nas reuniões do conselho diretor – completou Pereira.Quando questionado, Carlos Eduardo Pereira não confirmou e nem negou que um dos motivos da saída seria a confirmação de Edson Junior como presidente do Conselho Deliberativo, após a recente morte de Jorge Aurélio Domingues, tendo em vista que CEP pendia para que houvesse uma nova eleição.

– Não adianta a gente voltar ao passado, o que aconteceu fica no passado, a perda do Jorge (antigo presidente do Conselho Deliberativo) foi uma perda inesperada, maiúscula. Jorge foi meu amigo, professor, quase um segundo pai. Foi muito duro, tudo que se diz respeito a ele é complicado. Vamos deixar isso para mais adiante, esperar chegar a hora do análise do conselho deliberativo, vamos tocar esse assunto para frente e, agora, pensar somente no Botafogo.

Por fim, Carlos Eduardo Pereira salientou que a construção de um novo grupo político “não está em pauta”, uma vez que o ex-presidente “não depende de grupo para ajudar o Botafogo” – conforme dito pelo próprio, por telefone.

CONFIRA A CARTA ABERTA NA ÍNTEGRA:

“Companheiras e Companheiros de MB,

Desde que me associei ao Mais Botafogo, nossa caminhada conjunta escreveu páginas muito bonitas na vida e na política de nosso amado BOTAFOGO.

Nas eleições de 2011, mesmo contra tudo e contra todos, pela primeira fez, elegemos 14 Conselheiros de oposição que, juntamente com os Beneméritos e Grandes Beneméritos, fizeram um excelente trabalho no Deliberativo.

Já em 2014, chegou a nossa hora e vencemos uma eleição duríssima. Recebemos um Clube rebaixado e humilhado. Mas com muito trabalho e Amor, em apenas três anos, fomos da Série B até as semifinais da Taça Libertadores das Américas. Assim, construímos uma imagem como grupo, de seriedade e competência, indiscutíveis.

Lançamos as bases para o prosseguimento e consolidação de um trabalho tão duramente iniciado e que precisa ser mantido.

Entretanto, hoje não me sinto mais em casa no Mais Botafogo. Muita coisa mudou e não foi para melhor. Desde o ano passado Jorge Aurélio e Eu já conversávamos sobre os rumos dos acontecimentos e dividíamos nossas preocupações. Alguns, não sei exatamente porque, parecem empenhados em tentar apagar o que fizemos ou em desacreditar os aspectos positivos da gestão do MB.

Assim, depois de refletir, gostaria de comunicá-los que chegou o momento de deixar o grupo e retomar o meu longo caminho na vida política do BOTAFOGO, com a mesma independência e compromisso com o melhor para nosso Clube.

Agradeço pela acolhida, amizade, dedicação, compreensão que aqui encontrei. Tenho certeza de que fiz muitas amizades e que nos encontraremos novamente em próximas oportunidades no BOTAFOGO.

Seguirei VP Geral e como Grande Benemérito, membro do Conselho Deliberativo, disposto a trabalhar sempre pelo BOTAFOGO e a também sempre defendê-lo.

AO BOTAFOGO TUDO! DO BOTAFOGO, SÓ O DIREITO DE SERVÍ-LO!

Recebam meus melhores Abraços Alvinegros e até breve”

Fonte: Terra e Rádio Brasil