Renan e João Filipe foram apresentados pelo diretor de esportes do Avaí Gonçalves

Primeiros reforços do Avaí para a temporada de 2016, o goleiro Renan e o zagueiro João Filipe foram apresentados no começo da tarde desta quarta-feira no Estádio da Ressacada. Enquanto o primeiro é uma novidade na equipe da capital catarinense, o segundo é um velho conhecido da torcida, pois participou da campanha do último acesso à Série A em 2014. E foi justamente esse o objetivo traçado pelos dois na primeira entrevista do ano.

Sombra do goleiro Jefferson no Botafogo ao longo dos últimos anos, Renan acredita ter no Avaí a oportunidade de finalmente se fixar como titular de uma equipe aos 26 anos.

— Estou muito motivado. Minha expectativa é muito grande. Assim como foi com o Botafogo no ano passado, subir com o Avaí para a Série A é o principal objetivo — afirmou o goleiro.

Ele também agradeceu o apoio da torcida, que tem desejado boas-vindas, especialmente por meio das redes sociais. Renan ainda elogiou a cidade e disse estar pronto para encarar possíveis críticas, já que os jogadores da posição tem sido alvos de críticas constantes nos últimos anos. Em 2015, por exemplo, tanto Vagner quanto Diego não se firmaram e foram contestados pela torcida.

— Sempre tem cobrança, não só dos torcedores e comissão técnica. A gente se cobra muito também e está preparado para isso. Mas espero contar com o carinho do torcedor — disse.

Velho conhecido retorna

Velho conhecido dos torcedores da dupla da Capital, o zagueiro João Filipe retorna ao Avaí após um ano no Fluminense, onde jogou apenas uma vez. Ele também já atuou pelo Figueirense nos anos de 2009 e 2010.

— Florianópolis é uma cidade muito boa. Fui muito feliz aqui em 2014. Vou trabalhar duro para ser novamente coroado com o acesso — afirmou o jogador, que também pode atuar pela lateral direita.

Questionado se pode ajudar a deixar para trás as más recordações do torcedor com o setor defensivo, quando o Avaí terminou a Série A com a zaga mais vazada, o jogador foi político.

— Com todo o respeito aos jogadores que estavam aqui, 2015 já passou. Temos de viver o presente e pensar no futuro — afirmou.

Fonte: Diário Catarinense