Uma das principais revelações do Botafogo nos últimos anos, titular absoluto na equipe carioca e com passagens por seleções de base, Matheus Fernandes chega ao Palmeiras com um status bem diferente. O meio-campista de 20 anos é avaliado, a princípio, como uma aposta que pode preencher bem o elenco em uma função considerada uma das mais carentes, a de segundo volante. A situação é semelhante à de Emerson Santos, zagueiro que também veio do Botafogo como promessa, mas acabou não se firmando e foi emprestado ao Internacional.

No elenco estrelado do Palmeiras, as opções de volantes que saem mais para o jogo estão entre as mais escassas. Bruno Henrique é o titular incontestável na função e capitão do time, mas não tem um reserva imediato. Moisés pode fazer esse papel, mas foi escalado mais como meia por Felipão; o mesmo vale para Jean, que raramente atuou como volante, jogando mais como um ponta defensivo.

Com Matheus, a diretoria espera cobrir essa lacuna ao mesmo tempo em que desenvolve um jovem jogador para o futuro. A expectativa é de manter Bruno Henrique e Moisés no elenco, mas ambos sofrem assédio do mercado internacional, e existe a preocupação dentro do clube de que eles possam ser seduzidos por propostas financeiramente vantajosas.

A outra função que a diretoria considerava como necessitada de reforços é a de atacante de velocidade. O Palmeiras oficializou na noite da última quarta-feira (19) a chegada de Carlos Eduardo, ex-Goiás e atualmente no Pyramids, do Egito. Outro nome que foi avaliado para o setor é Felipe Pires, do Hoffenheim.

Com características de boa mobilidade, roubada de bola, passe e infiltração, Matheus Fernandes prefere atuar como segundo homem de meio-campo. Ele até foi utilizado como primeiro volante em vários momentos de 2018 no Botafogo, especialmente no primeiro semestre, mas se sente mais à vontade com um companheiro mais defensivo ao seu lado na contenção. Para essa outra função, o Palmeiras conta com Felipe Melo e Thiago Santos.

Campeão brasileiro sub-20 pelo Botafogo em 2016, Matheus também acumula convocações para as categorias sub-17 e sub-20 na seleção brasileira. O Palmeiras pagou 3,5 milhões de euros (cerca de R$ 16 milhões) por 75% dos direitos econômicos do jogador e um contrato de cinco anos. Deste montante, a Justiça do Trabalho do Rio de Janeiro penhorou R$ 6,4 milhões por causa de um processo movido pelo técnico Oswaldo de Oliveira contra o Botafogo.

Fonte: UOL