O goleiro Gatito Fernández, 31, vive a expectativa de ser titular da seleção Paraguai diante do Catar, no Maracanã, às 16h (de Brasília) de domingo. Aumentou a chance ao ser chamado pelo técnico Eduardo Berizzo para ser um dos participantes da entrevista coletiva oficial, neste sábado.

Isso gerou uma situação até divertida. Quando ouviu a pergunta de um jornalista brasileiro que pediu ao jogador para responder em português, o goleiro se negou. Educadamente se explicou: “Agora estou representando minha seleção, meu povo, vou responder em espanhol”.

Mas o jogador não estava tão à vontade. Deu respostas curtas, falou muitas vezes que o desejo dele é o mesmo dos outros 22 (ou seja, jogar, dar o melhor, vencer etc.), mas acabou falando de representar o pai e como será a jogar o torneio sendo jogador do Botafogo e acostumado ao Maracanã.

“Eu sempre falo com o meu pai, estamos sempre em contato e antes dessa Copa América ele me pediu para repetir aqui o que eu faço pelo meu clube”, disse o goleiro botafoguense.

O pai dele foi Roberto Fernández, também goleiro, e que defendeu o Paraguai na Copa de 1986.

“Meu sonho sempre foi jogar pela seleção paraguaia como titular e eu espero conseguir me firmar, construir uma história. Não é um pensamento diferente do meus companheiros. Todos têm esse sonho”, disse Gatito.

Sobre o Maracanã, ele disse que “é um estádio com muita história, muitos acontecimentos e estou acostumando a jogar aqui. Vai ser muito bom jogar pelo Paraguai agora”.

A seleção paraguaia está no mesmo grupo de Argentina, Colômbia e Catar. A estreia será no Maracanã, às 16h (de Brasília), neste domingo.

Fonte: ESPN.com.br