Aqueles mesmos olhos que estavam marejados por causa da emoção pela conquista do título não tinham registrado a jogada que fora crucial para o choro de alegria. Mas o fato de não ter conseguido ver o gol do marido na final do Carioca não diminuiu a satisfação de Mariela, esposa do zagueiro Joel Carli, do Botafogo, no Maracanã.

Foi um sentimento inédito para ela e o casal de filhos, Avril, de 10 anos, e Valentín, de cinco. A turma nunca tinha visto o pai, de 31 anos, ser campeão.

— A família sofre muito, igual ao jogador. Os filhos já choravam porque pensavam que a partida estava perdida. Mas não se pode perder a fé. Ele merecia esse gol, estava muito ansioso por conseguir um campeonato com o Botafogo — disse Mariela ao GLOBO.

Foi justamente pelo momento de tristeza dos filhos aos 49 do segundo tempo, quando o jogo ainda estava 0 a 0 e o título estava nas mãos do Vasco, que a família perdeu o gol do pai. Um desvio de olhar foi crucial.

— As crianças sofrem mais, porque vivem o jogo com mais paixão. O pequenininho vê mais de perto porque vai treinar com o pai, conhece mais o interior de tudo. Ele sofreu muito. Mas foi muito merecido, valeu a pena – contou a esposa do zagueiro.

Como a comemoração botafoguense pela conquista diante do Vasco também teve espaço para a participação das famílias, o argentino pôde receber no gramado, além da medalha e da taça, o carinho de quem o ama.

— Conhecemos muitos times pelos quais ele passou. Mas acho que esse grupo do Botafogo é muito família. A família participa muito, é bem legal — valorizou Mariela.

O título, com gol de Carli, foi o desfecho glorioso de um enredo que teve altos e baixos para o zagueiro do Botafogo, especialmente com a chegada do técnico Alberto Valentim. O argentino virou reserva, perdeu espaço por ser mais lento que Marcelo Benevenuto, mas recuperou a titularidade e virou herói improvável na conquista alvinegra.

— A esposa não pode controlar nada. Era uma situação muito difícil para ele. Ele estava triste por não poder fazer parte do time titular, como vinha fazendo. Mas nunca perdeu as esperanças. Treinava mais do que nunca e dizia que voltaria a jogar e seria campeão. Ele estava muito seguro disso — contou Mariela, que está com Carli há 12 anos, ressaltando que a família nunca pensou em deixar o clube:

— Jamais. É Botafogo e Rio de Janeiro. As crianças são botafoguenses e já são cariocas, estão acostumadas, não querem mudar, estão muito felizes.

Ao lado da esposa, alternando um beijinho, um abraço e uma entrevista, Carli ainda estava processando na mente o que acabara de acontecer.

— É muito emocionante, do jeito que aconteceu… Mas eu mereço, trabalho muito dentro e fora de campo. Sinto a satisfação de todo esse trabalho — comentou o zagueiro, diante do maior prêmio da noite: a satisfação familiar.

Fonte: O Globo Online