O confronto final da Taça Guanabara está definido entre Flamengo e Fluminense., mas falta um estádio liberado para as duas torcidas. Os clubes já traçaram a estratégia para reverter o cenário: tomando a negociação da semana passada como exemplo, pretendem manter o tom conciliador e buscar novo acordo com a Justiça para o duelo ser realizado no Engenhão.

A decisão liminar que proíbe clássicos regionais com torcida divida em todo o estado segue em vigor. O plano é manter o diálogo com o Ministério Público, por intermédio do juiz Guilherme Schiling, do Juizado do Torcedor e Grandes Eventos.

— Vamos seguir a mesma linha da semifinal. Não teve nenhum incidente grave no jogo de sábado (Flamengo1x0 Vasco), em Volta Redonda). Vamos aproveitar que o diálogo foi aberto para reverter a situação e provar que esta partida pode acontecer no Engenhão — disse Eduardo Bandeira de Mello, presidente do Flamengo.

O presidente do Fluminense, Pedro Abad, disse que já há um pedido de reunião com a Federação do Rio onde serão elaboradas alternativas para serem apresentadas à Justiça:

— Acredito que não dá para se ter um Fla x Flu com torcida única. Não sei se vamos reverter em definitivo a decisão da Justiça. Mas vamos tentar, pelo menos, um acordo nos moldes do que foi feito no Vasco e Flamengo para essa partida também.

O comandante do Grupamento Especial de Policiamento em Estádios (Gepe), major Sílvio Luiz, avaliou a partida de sábado como tranquila e disse não ter problemas com jogos no Rio:

— Os problemas foram mínimos. Até porque o público também foi mínimo. Para a semana que vem não vejo prejuízo em a partida ser realizada no Rio.

Fonte: Extra Online