O Campeonato Carioca deve ter cara nova em 2020. A proposta que será colocada à mesa do conselho arbitral da próxima segunda-feira é a volta de uma fórmula mais enxuta, com turno e returno, sem as semifinais gerais que tiraram peso da Taça Rio nos últimos anos.

A ideia deixará o Estadual do Rio com 15 ou 17 datas, dependendo dos vencedores dos turnos. O torneio começa em 22 de janeiro. A proposta prevê a divisão de 12 clubes em dois grupos de seis.

Na Taça Guanabara, os clubes enfrentariam adversários fora do grupo (seis rodadas), com quatro avançando para semifinais e depois a final.

Na Taça Rio, os jogos seriam dentro do grupo (cinco rodadas), com semifinais e final em jogo único.

O time que vencer ambos os turnos será o campeão do Carioca, em um modelo de campeonato com 15 datas. Se times diferentes vencerem cada turno, haverá a final geral do Estadual em dois jogos.

Para deixar o campeonato flexível em duas datas sem perder dinheiro, a Ferj precisa da concordância da emissora detentora dos direitos de transmissão. Há um diálogo aberto para que haja acordo.

Apesar de o arbitral ser o espaço para sacramentar as mudanças, já houve sondagens com os grandes nas últimas semanas para amadurecer a ideia.

Para 2020, a CBF estipulou um limite de 16 datas para os Estaduais. Para prever até 17 datas, a Ferj precisaria usar uma das datas estipuladas como “vaga” no calendário nacionais, possivelmente durante a data Fifa de março. Mas a CBF não tem poder de determinar exatamente como será a fórmula de cada estadual, já que as federações e seus arbitrais têm autonomia para isso.

Fonte: O Globo Online